* UNIVERSIDADE PLANETÁRIA DO FUTURO, fundada em janeiro de 2010, pelos Grupos ARTFORUM Brasil XXI

*** Século XXI. A Universidade Planetária do Futuro - UNIFUTURO foi organizada em 2009.São seus Fundadores: As famílias: D.G.F.C., M. F. F. R., A.M.F.G., J.L.C.F. J.L.C.F. Os fundadores são patronos dos Grupo ARTFORUM Brasil XXI que foi organizado em 2001- XXI. Setores UNIFUTURIO: Conselho Universitário, Diretores de áreas acadêmicas, departamento e Grupos de pesquisa, comunicação, edição, divulgação de suas e matérias, artigos institucionais, academias, revistas, sites, blogs e matérias de convidados, como professores, doutores, jornalistas, e homenagens especiais. *** Enunciados da Carta Magna da UNIFUTURO: Os fundadores, patronos, a presidência, diretores, consultores e diretores do presidência do Grupo ARTFORUM Brasil XXI, do seu Projeto especial, Universidade Planetária do Futuro prestam tributo à Humanidade, à Paz Mundial, ao Brasil de 5 séculos; Aos povos da África e do mundo; A todas as etnias que formam o povo brasileiro; Às montanhas e aos picos da Terra; A todas as florestas; águas, oceanos, mares, rios, riachos e fuos de água dos cinco continentes; À Amazônia sua biodiversidade e à biodiversidade brasileira e do planeta. Brasil, março de 2009, Séc. XXI. Boas vindas! Bienvenidos! Welcome#

sábado, 29 de maio de 2010

Habeas-Pinho

Em 1955, em Campina Grande, na Paraíba, um grupo de boêmios fazia serenata numa madrugada do mês de junho, quando chegou a polícia e apreendeu o violão.
Decepcionado, o grupo recorreu aos serviços do advogado Ronaldo Cunha Lima,
então recentemente saído da Faculdade e que também apreciava uma boa seresta.
Ele peticionou em Juízo para que fosse liberado o violão.
Aquele pedido ficou conhecido como "Habeas-Pinho" e enfeita as paredes de escritórios
de muitos advogados e bares de praias no Nordeste.
Mais tarde, Ronaldo Cunha Lima foi eleito Deputado Estadual, Prefeito de Campina Grande, Senador da República, Governador do Estado e Deputado Federal.

Eis a famosa petição:
HABEAS-PINHO

Exmo. Sr. Dr. Juiz de Direito da 2ª Vara desta Comarca:
O instrumento do crime que se arrola
Neste processo de contravenção
Não é faca, revólver nem pistola,
É simplesmente, doutor, um violão.

Um violão, doutor, que na verdade,
Não matou nem feriu um cidadão,
Feriu, sim, a sensibilidade
De quem o ouviu vibrar na solidão.

O violão é sempre uma ternura,
Instrumento de amor e de saudade,
Ao crime ele nunca se mistura,
Inexiste entre eles afinidade.

O violão é próprio dos cantores,
Dos menestréis de alma enternecida
Que cantam as mágoas e que povoam a vida
Sufocando suas próprias dores.

O violão é música e é canção,
É sentimento de vida e alegria,
É pureza e néctar que extasia,
É adorno espiritual do coração.

Seu viver, como o nosso, é transitório,
Porém seu destino se perpetua,
Ele nasceu para cantar na rua
E não para ser arquivo de Cartório.

Mande soltá-lo pelo Amor da noite,
Que se sente vazia em suas horas,
Para que volte a sentir o terno açoite
De suas cordas leves e sonoras.

Libere o violão, Dr. Juiz,
Em nome da Justiça e do Direito,
É crime, porventura, o infeliz
cantar as mágoas que lhe enchem o peito?

Será crime, e, afinal, será pecado,
Será delito de tão vis horrores,
perambular na rua um desgraçado
derramando ali as suas dores?

É o apelo que aqui lhe dirigimos,
Na certeza do seu acolhimento,
Juntando esta petição aos autos nós pedimos
e pedimos também DEFERIMENTO.

Ronaldo Cunha Lima, advogado.

O juiz Arthur Moura, sem perder o ponto, deu a sentença no mesmo tom:

"Para que eu não carregue remorso no coração,
Determino que seja entregue ao seu dono,
Desde logo, O malfadado violão! “

Recebo a Petição escrita em verso
E, despachando-a sem autuação,
Verbero o ato vil, rude e perverso,
Que prende, no cartório, um violão.

Emudecer a prima e o bordão,
Nos confins de um arquivo em sombra imerso
È desumana e vil destruição
De tudo, que há de belo no universo.

Que seja Sol, ainda que a desoras,
E volte à rua, em vida transviada
Num esbanjar de lágrimas sonoras.

Se grato for, acaso ao que lhe fiz,
Noite de lua, plena madrugada,
Venha tocar à porta do Juiz.

Postagem de
Jaak Bosmans
Presidente da Academia de Artes Letras e Cultura, Maestro Arthur Bosmans
Vice presidente da Universidade Planetária do Futuro
Cônsul B.Serra. Poetas Del Mundo

sexta-feira, 28 de maio de 2010

O fim do Código... -Informações da Avaaz.

de Graziela Tanaka - Avaaz.org

para "anafelixgarjan@gmail.com"
data 28 de maio de 2010 16:17
assunto O fim do Código?
enviado por bounces.avaaz.org
assinado por avaaz.org

Caros amigos, As nossas florestas estão em perigo! Deputados ruralistas querem destruir o Código Florestal Brasileiro, liberando o desmatamento de áreas protegidas por lei, especialmente na Amazônia. Assine a petição para salvar o Código Florestal:

Próxima terça-feira dia 1 de junho nossas florestas irão sofrer um ataque perigoso – deputados da “bancada ruralista” estão tentando destruir o nosso Código Florestal, buscando reduzir dramaticamente as áreas protegidas, incentivando o desmatamento e crimes ambientais.

O que é mais revoltante, é que os responsáveis por revisar essa importante lei são justamente os ruralistas representantes do grande agronegócio. É como deixar a raposa cuidando do galinheiro!

Há um verdadeiro risco da Câmara aprovar a proposta ruralista – mas existem também alguns deputados que defendem o Código e outros estão indecisos. Nos próximos dias, uma mobilização massiva contra tentativas de alterar o Código, pode ganhar o apoio dos indecisos. Vamos mostrar que nós brasileiros estamos comprometidos com a proteção ambiental – clique abaixo para assinar a petição em defesa do Código Florestal:
http://www.avaaz.org/po/salve_codigo_florestal/?vl

Enquanto o mundo todo defende a proteção do meio ambiente, um grupo de deputados está fazendo exatamente o contrário: entregando de mão beijada as nossas florestas para os maiores responsáveis pelo desmatamento do Cerrado e da Amazônia. Eles querem simplesmente garantir a expansão dos latifúndios, quando na verdade uma revisão do Código deveria fortalecer as proteções ao meio ambiente e apoiar pequenos produtores.

As propostas absurdas incluem:

-Reduzir a Reserva Legal na Amazônia de 80% para 50%
-Reduzir as Áreas de Preservação Permanente como margens de rios e lagoas, encostas e topos de morro:
-Anistia aos crimes ambientais, sem exigir o reflorestamento da área
-Transferir a legislação ambiental para o nível estatal, removendo o controle federal

Essa não é uma escolha entre ambientalismo e desenvolvimento econômico, um estudo recente mostra que o Brasil ainda tem 100 milhões de hectares de terra disponíveis para a agricultura, sem ter que desmatar um único hectare da Amazônia.

A proteção das floretas e comunidades rurais dependem do Código Florestal, assim como a prevenção das mudanças climáticas e a luta contra a desigualdade do campo. Assine a petição para salvar o Código Florestal e depois divulgue!
http://www.avaaz.org/po/salve_codigo_florestal/?vl

Juntos nós aprovamos a Ficha Limpa na Câmara e no Senado. Se agirmos juntos novamente pelas nossas florestas nós podemos fazer do Brasil um modelo internacional de desenvolvimento aliado à preservação.

Com esperança,
Graziela, Alice, Paul, Luis, Ricken, Pascal, Iain and the entire Avaaz team

Saiba mais:
País tem 100 mil de hectares sem proteção - Estado de São Paulo:
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100505/not_imp547054,0.php

Estudos ressaltam importância ambiental do Código Florestal - WWF:
http://www.wwf.org.br/informacoes/noticias_meio_ambiente_e_natureza/?24940/Estudos-ressaltam-importancia-ambiental-do-Codigo-Florestal

Para ambientalistas, relatório de Rebelo é genérico e equivocado :
http://www.portaldomeioambiente.org.br/legislacao-a-direito/codigo-florestal-brasileiro/4110-para-ambientalistas-relatorio-de-rebelo-e-generico-e-equivocado.html

..........................................
Brasil, 28 de maio de 2010

Divulgação:
Grupos Artforum Brasil UNIFUTURO no Orkut:
-Parlamento do Meio Ambiente e Ecologia Social - 2007
Coordenação: Ana Felix Garjan, desde 2007

quinta-feira, 27 de maio de 2010

O mundo visual de Vera Ferro

A arte de Vera Ferro encanta o mundo.


A professora  Vera Ferro foi uma convidada especial da curadora da "II Bienal de Artes, Design e Arquitetura do Maranhão, Amazônia e Nordeste 2002", em São Luís - Maranhão, com sua obra "Um anjo
pede Paz para o mundo". Na época a bienal foi organizada pela Fundação Artforum Renaissance Vie Universelle, que criou Grupos Artforum Mundi Planet e Artforum Brasil Unifuturo. A curadora da II Bienal  de Artes do Marnahão foi a pesquisadora em história da arte e artista plástica, Ana Felix Garjan.

Mãos de arte e humanidade de Vera Ferro

"Como um todo, o mundo visual de Vera Ferro apresenta uma intensa delicadeza para falar de duras realidades: a morte, a passagem do tempo e a solidão humana ganham diversas metáforas, que se consolidam por recursos plásticos tecnicamente utilizados com maestria, como a mencionada procura da transparência e a construção de uma poética lírica, mas que não perde a contundência de um sempre renovado e coerente olhar plástico sobre o mundo."

Oscar D’Ambrosio, jornalista e mestre em Artes Visuais pelo Instituto de Artes da Unesp integra a Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA - Seção Brasil) 2009.

Abertura: 27 de maio de 2010 às 19 horas

Duração: até 27 de junho

Local: Livraria Cultura - Shopping Iguatemi Campinas

(Av. Iguatemi, 777 - Piso 1 - Campinas - São Paulo)


Curso de Aquarela

A transparência, a sobreposição de tons, as sucessivas películas translúcidas de tinta, a sutileza e o refinamento na mistura das cores, o uso do branco da papel como luz, são essenciais na aquarela.

Acesse:
http://arteveraferro.blogspot.com/

Projeto "Pintando as paredes do mundo"

Para todos os que participaram desta Ação Social, e aos que irão participar das próximas, convido visitar este blog, feito pela amiga Vera Covolan, sobre o trabalho realizado na Apacc, em dezembro de 2009.
http://vera-lux.blogspot.com/

http://www.veraferro.com.br/


Brasil, 27 de maio de 2010

Grupos Artforum Brasil Unifuturo
Universidade Planetária do Futuro
Departamento de Comunicação Cultural
Direção: Ana Felix Garjan
artforum.universidadeplanetaria@gmail.com
artforum.universidadeplanetaria@hotmail.com

quarta-feira, 26 de maio de 2010

"Duas cosmologias em conflito", por Leonardo Boff - teólogo e escritor

Da Carta Maior
DEBATE ABERTO

Duas cosmologias em conflito

O prêmio Nobel de Economia, Joseph Stiglitz, disse recentemente que o legado da crise econômico-financeira será um grande debate de idéias sobre o futuro da Terra. Esse debate se dará em torno das duas cosmologias em conflito no cenário da história.

Leonardo Boff

O prêmio Nobel de Economia, Joseph Stiglitz, disse recentemente: “O legado da crise econômico-financeira será um grande debate de idéias sobre o futuro da Terra”. Concordo plenamente com ele. Vejo que o grande debate se dará em torno das duas cosmologias em conflito no cenário da história. Por cosmologia entendemos a visão do mundo – cosmovisão – que subjaz às idéias, às práticas, aos hábitos e aos sonhos de uma sociedade. Cada cultura possui sua respectiva cosmologia. Mediante ela, se procura explicar a origem, a evolução e o propósito do universo, a definição do lugar do ser humano dentro dele.

A nossa cosmologia atual é a da conquista, da dominação, da exploração do mundo, com vistas ao progresso e ao crescimento ilimitado.

Caracteriza-se por ser mecanicista, determinista, atomística e reducionista. Por causa desta cosmovisão, criaram-se inegáveis benefícios para a vida humana, mas também contradições perversas como o fato de 20% da população mundial controlar e consumir 80% de todos os recursos naturais, gerando um fosso entre ricos e pobres como nunca antes houve na história. A metade das grandes florestas já foi destruída, 65% das terras cultiváveis foram perdidas, cerca de 5 mil espécies de seres vivos desaparecem anualmente e mais de mil agentes químicos sintéticos, a maioria deles tóxicos, são espalhados pelo solo, ar e águas.

Construíram-se armas de destruição em massa, capazes de eliminar toda vida humana. O efeito final é o desequilíbrio do sistema-Terra que se expressa pelo aquecimento global. Com os gases já acumulados, em 2035, chegaremos fatalmente a um aumento de 2 graus centígrados, e, se nada for feito, segundo algumas previsões, no final do século serão 4 ou 5 graus, o que tornará a vida, tal como a conhecemos hoje, praticamente impossível.

O predomínio dos interesses econômicos, especialmente os especulativos, capazes de reduzir países inteiros à mais brutal miséria, e o consumismo trivializaram nossa percepção do perigo que vivemos e conspiram contra qualquer mudança de rumo.

Em contraposição, está aparecendo com força cada vez maior uma cosmologia alternativa e potencialmente salvadora. Ela já tem mais de um século de elaboração e alcançou sua melhor expressão na Carta da Terra.

Ela deriva das ciências do universo, da Terra e da vida e situa nossa realidade dentro da cosmogênese, aquele imenso processo evolutivo que iniciou no big bang, há cerca de 13,7 bilhões de anos. O universo está continuamente expandindo-se, organizando-se e auto-criando-se. Seu estado natural é a evolução e não a estabilidade, a transformação e a adaptabilidade e não a imutabilidade e a permanência. Ele relaciona-se em redes e não existe nada fora desta relação. Por isso todos os seres são interdependentes e colaboram entre si para evoluir juntos e garantir o equilíbrio de todos os fatores. Por trás de todos os seres atua a Energia de fundo que deu origem e anima o universo e faz surgir novas criações. A mais espetacular delas é a Terra viva e nós, os seres humanos, como a porção consciente e inteligente dela, com a missão de cuidá-la.

Vivemos tempos de urgência. O conjunto das crises atuais está criando uma espiral de necessidades de mudança que, se não forem implementadas, nos conduzirão fatalmente ao caos coletivo, mas que se forem assumidas, poderão nos elevar a um estágio mais alto de civilização.

E é neste momento que a nova cosmologia se revela inspiradora. Ao invés de dominar a natureza, nos situa no seio dela em profunda sintonia e sinergia. Ao invés de uma globalização niveladora das diferenças, nos sugere o biorregionalismo que valoriza as diferenças. Este modelo procura construir sociedades autosustentáveis dentro das potencialidades e dos limites das biorregiões, baseadas na ecologia, na cultura local e na participação das populações, respeitando a natureza e buscando o “bem viver” que é a harmonia entre todos e com a mãe Terra.

O que caracteriza esta nova cosmologia é o cuidado em lugar da dominação, o reconhecimento do valor intrínseco de cada ser e não sua mera utilização humana, o respeito por toda a vida e os direitos e a dignidade da natureza e não sua exploração.

A força desta cosmologia reside no fato de estar mais de acordo com as reais necessidades humanas e com a lógica do próprio universo. Se optamos por ela, se criará a oportunidade de uma civilização planetária na qual o cuidado, a cooperação, o amor, o respeito, a alegria e a espiritualidade terão centralidade. Será o grande giro salvador de que necessitamos urgentemente.
Tradução (do espanhol): Marco Aurélio Weissheimer

*** Leonardo Boff é teólogo e escritor.

..................................................................................
Brasil, 26 de maio de 2010

Universidade Planetária do Futuro
Centro de Ciências Socias e Humanas

*Departamento de Pós - Graduação e Assuntos Socias
Diretora e Consultora:
Professora Doutora Maria de Fátima Felix Rosar
mffrosar@uol.com.br
.
*Departamento de Comunicação Social e Cutural
Diretora e Consultora:
Professora  pesquisadora Ana Felix Garjan
artforum.universidadeplanetaria@hotmail.com

terça-feira, 25 de maio de 2010

Homenagem ao poeta Arthur Jaak Wilfrid Bosmans, vice presidente da Universidade Planetária do Futuro

Um poeta. Um escritor. Um diretor de marketing.
Um cidadão que honra a cultura mineira.


Homenagem ao poeta Arthur Jaak Wilfrid Bosmans, pelo Departamento de Assuntos Humanistas, da Universidade Planetária Unifuturo - Grupos Artforum Brasil Unifuturo.

Nascido em Belo Horizonte - Minas Gerais
Em 29 de Novembro de 1950

Atividades profissionais

Escritor, poeta, publicitário, cineasta, vídeomaker, músico, professor universitário, artista plástico, fotógrafo, representante de movimentos pela Paz Mundial.

Jaak Bosmans
-Presidente da Academia de Artes, Letras e Cultura “Maestro Arthur Bosmans”
http://academiadeartes-maestroarthurbosmans.blogspot.com/

-Vice Presidente da Universidade Planetária do Futuro – Grupos Artforum Brasil Unifuturo,
dirigido pela socióloga Ana Maria Felix Garjan
http://projetoartforumuniversidade.blogspot.com/

Coordenador do Núcleo ARTFORUM BRASIL XXI - Belo Hte.
http://www.artforumunifuturobrasil.org/ - http://www.cidadeartesdomundo.com.br/

Cônsul B. Serra - B.Hte. - Poetas Del Mundo
http://www.poetasdelmundo.com/verinfo_america.asp?id=5366


*** Referências no Google “jaakbosmans”

Criador do movimento “Poemagem” em 2002.

Criador da Primeira Campanha de impacto Nacional em defesa da Amazônia, como Presidente do Clube de
Criação de Minas Gerais, para a AMDA
http://georgianadesa.blogspot.com/2008/05/assim-ser-nossa-amaznia-primeira.html

Criador e diretor do filme “Os Silenciados” de um minuto, homenagem aos grandes líderes assassinados por defenderem a paz, causas humanísticas, e ecológicas.

Criador do Projeto em Homenagem aos 100 Anos de seu pai “Maestro Arthur Bosmans”.

Realizado pela Secretaria de Estado da Cultura de Minas Gerais em agosto de 2009


Trabalhos publicados em antologias, revistas e jorna
is.

Últimas antologias

“Latinidade Poética” -“Delicatta IV” e “Coração de Poeta”
Condecorado com a Medalha do Centenário do Dr. Mário Penna, em 1997, pelo reconhecimento
aos serviços prestados ao Hospital do Câncer.

Título de HUMANISTA HONORIS CAUSA, do Clube Brasileiro da Língua Portuguesa, em razão
da excelência de sua obra a favor dos DIREITOS HUMANOS.


Prêmios


MELHORES DO ANO

RTV do ano em 1978 pela AMP, SPBH, CCMG, GMMG.

RTV do ano em 1979 pela AMP, ABAP-MG, SAMG.

RTV do ano em 1981 pela AMP, ABAP-MG, SPMG, SAMG.


PROFISSIONAIS DO ANO DA REDE GLOBO

Finalista Campanha - 1984.

Finalista Mercado Regional - 1984

Vencedor Campanha - 1985

Finalista Campanha - 1986

Finalista Serviço Público - 1987

Finalista Serviço Público – 1989

2º "VOTO POPULAR" DA FILA CENTRAL DE CRIAÇÃO PUBLICITÁRIA

"Meu Filho" Família Down- 1987- para Associação da Crianças com Síndrome de Down

Finalista no I Festival de Cinema Feminino da Chapada dos Guimarães (Tudo Sobre Mulheres) como diretor e roteirista do filme “Mulheres Breves”, do livro da Dra. Prfª.de literatura, Kenia Maria de Almeida Pereira.

4º lugar no Festival Internacional do Minuto 2005 com o filme “Parada Crítica”, tema “Control Alt Del”


Participações


- Colaborador do Suplemento Literário do Minas Gerais – como escritor 1970 a 1971.

- Repórter Internacional da Revista "BELGIQUE-MAGAZINE com sede em Bruxelas.

- Apreciação dos Trabalhos na Bélgica pelo "CENTRO STUD E SCAMBI INTERNAZIONALI"
de Roma.

- Estudos de Música, aprovado pela Ordem como pianista e guitarrista em 1967.

- Gravação de um disco quando participante do Conjunto "VOX POPULI".

- Finalista em vários Festivais de música Popular Brasileira como compositor.

- Eleito Presidente do Clube de Criação de Minas Gerais, em 1979.


Atividades Acadêmicas


-Professor do curso de Cinema e Vídeo da UNITRI na disciplina “Introdução ao Equipamento de Cinema
e Vídeo”(primeiro período)-2003/2004/2005

-Professor do curso de Cinema e Vídeo da UNITRI na disciplina “Introdução à Fotografia” (primeiro período). 2003/2004/2005

-Professor do curso de Cinema e Vídeo da UNITRI disciplina “Do Roteiro Técnico ao Filme”

-Direção (segundo e terceiro período) 2004/2005

-Professor do curso de Cinema e Vídeo da UNITRI na disciplina “Introdução à Produção de Cinema
e Vídeo”(segundo período).2003/2004

-Professor do curso de Fisioterapia da UNITRI na disciplina “O Corpo e Movimento” para o 1º período
e como matéria optativa para o 4º período. 2003/2004

- Coordenador e professor do curso de especialização “O cinema e a literatura na sala de aula” em 2006,
na UNITRI.

CURSOS

- Curso de Cinema "Gestão 65/66" supervisão do CENTRO DE ESTUDO CINEMATOGRÁFICOS
DE MINAS GERAIS

- Curso de Belas Artes na Escola Guignard em 1969 e 1970.

- Curso de Literatura Brasileira pela Academia Mineira de Letras em 1969.

- Técnico de Filmagem, Montagem, Gravação, e Direção de Filmes pela Agfa-Gevaert em Mortsel (Bélgica) em 1974.

- Curso de Engenharia de Operação Mecânica pela Escola Técnica Federal de Minas Gerais (CEFET).

- Curso de Oratória com o Professor Otávio Cardoso

- Curso de Vídeo no SSV em 1983


Brasil, 25 de maio de 2010
Grupos Artforum Brasil UNIFUTURO
Coordenação de Comunicação Social

Agência Artforum Cultural Inovatus
Direção: Ana Felix Garjan
http://artforum-inovatus.blogspot.com/

domingo, 23 de maio de 2010

DECLARO-ME VIVO!

Antigamente me preocupava quando os outros falavam mal de mim.
Então fazia o que os outros queriam, e a minha consciência me censurava.
Entretanto, apesar do meu esforço para ser bem educado, alguém sempre me difamava.
Como agradeço a essas pessoas, que me ensinaram que a vida é apenas um cenário!
Desse momento em diante, atrevo-me a ser como sou.
A árvore anciã me ensinou que somos todos iguais.
Sou guerreiro:
a minha espada é o amor,
o meu escudo é o humor,
o meu espaço é a coerência,
o meu texto é a liberdade.
Perdoem-me, se a minha felicidade é insuportável, mas não escolhi o bom senso comum.
Prefiro a imaginação dos indios, que tem embutida a inocência.
É possível que tenhamos que ser apenas humanos.
Sem Amor nada tem sentido,
sem Amor estamos perdidos,
sem Amor corremos de novo o risco de estarmos caminhando de costas para a luz.
Por esta razão é muito importante que apenas o Amor inspire as nossas ações.
Anseio que descubras a mensagem por detrás das palavras;
não sou um sábio, sou apenas um ser apaixonado pela vida.
A melhor forma de despertar é deixando de questionar se nossas ações incomodam aqueles que dormem ao nosso lado.
A chegada não importa, o caminho e a meta são a mesma coisa.
Não precisamos correr para algum lugar, apenas dar cada passo com plena consciência.
Quando somos maiores que aquilo que fazemos, nada pode nos desequilibrar.
Porém, quando permitimos que as coisas sejam maiores do que nós, o nosso desequilíbrio está garantido.
É possível que sejemos apenas água fluindo; o caminho terá que ser feito por nós.
Porém, não permitas que o leito escravize o rio, ou então, em vez de um caminho, terás um cárcere.
Amo a minha loucura que me vacina contra a estupidez.
Amo o amor que me imuniza contra a infelicidade que prolifera, infectando almas e atrofiando corações.
As pessoas estão tão acostumadas com a infelicidade, que a sensação de felicidade lhes parece estranha.
As pessoas estão tão reprimidas, que a ternura espontânea as incomoda, e o amor lhes inspira desconfiança.
A vida é um cântico à beleza, uma chamada à transparencia
Peço-lhes perdão, mas….
DECLARO-ME VIVO!
Chamalú.
Indio Quechua

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Outorga da Medalha MÉRITO TIRADENTES – FALASP *

*Fórum Maior - Artforum Brasil XXI
História, Cultura, Arte, homenagens

O Fórum da Universidade Planetária do Futuro, tem a satisfação de divulgar a matéria da Presidência da Federação das Academias de Letras e Artes do Estado de São Paulo - FALASP, sobre a Medalha "Mérito TIRADENTES- FALASP".

*Diretoria e Presidência da FALASP !

Medalha "Mérito TIRADENTES - FALASP"
Cadastramento no Exército da Medalha: Código 183

Celebração da Memória do Alferes Joaquim José da Silva Xavier, precursor da independência do Brasil -
Outorga da Medalha MÉRITO TIRADENTES – FALASP *


O Conde Thiago de Menezes, Comendador Grão Colar, Presidente da "Federação das Academias de Letras e Artes do Estado de São Paulo- FALASP",
que fraternalmente, congrega diversas entidades artísticas, culturais e institutos históricos e geográficos, e Grão Mestre das Ordens Honoríficas do Sodalício Acadêmico, apresentou a Sessão Solene de lançamento e outorga da Medalha "Mérito TIRADENTES - FALASP", honraria voltada exclusivamente para a valorização da Cultura e da Arte, com palestra de Taiguara Villela, autor da monografia "A hipótese maçônica de sobrevida de Tiradentes e a crítica documental arquivística, diplomática e paleográfica", que lhe rendeu indicação ao Doutorado da P.U.C. em História Social da Cultura na linha de pesquisa do ícone Tiradentes. O evento realizou-se às 18 horas do dia 20 de Novembro de 2006, Segunda Feira, no Salão Rubi do tradicional Hotel Novo Mundo, localizado à Praia do Flamengo, 20 - Flamengo - Rio de Janeiro.

Na ocasião, foram especialmente condecoradas, em reconhecimento do mérito de suas atuações para a expansão cultural do Brasil, as seguintes personalidades: Atriz Carmem Lú de Mendonça (então em cena na novela global "Páginas da Vida"), Marco Pólo, (diretor, produtor e coordenador do Ciclo de Leituras), Ator Maurício Branco, atriz Fátima Freire, ator Felipe Martins, atriz Lady Francisco e atriz Katia D'Angelo. Em seguida, foram condecorados os seguintes Acadêmicos (Entre artistas plásticos, literatos e educadores): Anatalia Rangel Asp, Vera Lucia Gonzalez Teixeira, Zuleika Maria da Conceição Ribeiro, Rosi Mary da Silva Campanha, Rosalia de Souza, Yara Mochiaro, Sonia Rocha, Djalma Lemos Mendonça, Zayra Coutinho Chaves Duarte, Maria Izabel Alexandre de Souza, Idília Viana, Roberto Armorizzi, Hilário Silva Neto, Agripina Ruggiero, Sylvia Roriz de Carvalho, Sula Dray, Vera Reis, Denise da Costa Teixeira, Messody Ramiro Benoliel, Dalila Maria da Cunha e Mello Balekjian, Léa Dray, Ed Falcão, Maria Claro, Yara Vargas e Zélia Maria Fernandes. E mais autoridades ligadas à Coorporação da Polícia Militar e ao Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro, entre as quais: Elson Haubrichs Batista, Nilo Francisco Pereira Netto, Andreza Moraes de Paula, Almiro de Paulo Filho, Gustavo Frederico Buttenmuller Rocha Beniz, Julio Cesar Oliveira dos Santos, Isaias Santos da Silva, Jimmy Gomes Centeno, Rubens Castro Peixoto Júnior e Bruno Borges Cardoso.


“Libertas Quae Sera Tamen”



A Medalha Mérito Tiradentes - FALASP foi instituida pela presidência da “Federação das Academias de Letras e Artes do Estado de São Paulo” no ano de 2006 e é destinada a premiar pessoas que hajam prestado relevantes serviços à causa pública do Estado do São Paulo e Rio de Janeiro. A Medalha Mérito Tiradentes - FALASP, confeccionada pela tradicional RANDAL – Rio, tem a efígie do Protomártir da Independência – Joaquim José da Silva Xavier e acompanhada de diploma, é uma das mais altas condecorações concedida pela entidade. Tradicionalmente a Medalha Mérito Tiradentes – FALASP também é outorgada durante solenidades oficiais em comemoração ao patrono das Polícias Militares do Brasil, Joaquim da Silva Xavier o “Tiradentes”. Afinal, essa Medalha é destinada a galardoar, ainda, militares que tenham prestado assinalados serviços às suas Corporações, e policiais militares que no seio da classe, se destaquem pelo seu valor pessoal, de modo a contribuir para o aperfeiçoamento e projeção da Instituição no âmbito nacional ou estadual.

Joaquim José da Silva Xavier, o “Tiradentes”, era o líder da Inconfidência Mineira. Pelo papel que desempenhou, foi condenado a morte e executado no dia 21 de abril de 1792. Seu martírio fez dele o herói nacional e o dia de sua morte é lembrado com um feriado nacional. Tiradentes ganhou seu apelido por trabalhar de dentista, mas ele também seguiu a carreira militar, chegando ao posto de alferes. Na data de 20 de abril de 2010 é lançada a Comenda Mérito TIRADENTES (Medalha Mérito TIRADENTES no Grau de Comendador) durante evento da FALASP em Porto Alegre , RS. E em maio de 2010 é lançado o Grão Colar Mérito TIRADENTES.
* A FEDERAÇÃO DAS ACADEMIAS DE LETRAS E ARTES DO ESTADO DE SÃO PAULO - FALASP, instituição sem fins lucrativos, fundada pelo poeta e jornalista paulista, Conde Thiago de Menezes, em 12 de março de 2004, com tempo ilimitado de duração, tem por finalidade supervisionar, coordenar, fiscalizar e estimular a atividade das entidades acadêmicas e centros de alta cultura sediados no Estado de São Paulo que a integram, com observância da Confederação das Academias de Letras e Artes do Brasil, antiga FALB, fundada no Rio de Janeiro em 1936. A FALASP tem foro na Estância de Águas de Lindóia e mantém os seguintes núcleos: Delegacia em Maceió, Alagoas; Delegacia em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, Delegacia da FALASP em Laguna, Santa Catarina e Delegacia da FALASP na Argentina mais representações na Bélgica, Suíça e França. Assim como Representações Municipais nas cidades de Guarulhos, Taubaté, Cruzeiro, Boituva, SP; Cabo Frio, Arraial do Cabo, Iguaba Grande, São Pedro da Aldeia, Maricá, Mesquita, RJ mais Campo do Meio e Manhuaçu, MG.

H.E. Count Thiago de Menezes
( Count of The Holy Roman Empire )
His Excellency
Count Don Thiago de Menezes, Graf von Galembeck,
Knight of Honour of The Imperial Teutonic Order

Presidente da FALASP
http://www.falasp.com.br/
http://www.falasp.blogspot.com/
http://www.falasp.blogger.com.br/

For God, The Holy Reich and The Fatherland!
"Helfen, Wehren, Heilen" ("Help, Defend, Heal")
Teutonic Order of St Mary's Hospital in Jerusalem.


*
Informação:


O jantar de confraternização da FALASP Federação das Academias de Letras e Artes do Estado de São Paulo, reunindo acadêmicos e comendadores, será no Restaurante do Hotel MIRAMAR (em Copacabana) novamente, na segunda feira, dia 07 de junho, as 18:30 horas ... na ocasião será outorgada a Medalha de Mérito TIRADENTES - FALASP ( Cadastramento no Exército da Medalha: Código 183 ), honraria voltada exclusivamente para a valorização da Cultura e da Arte ... Informações sobre o mesmo com a nossa chanceler no RIO, a Dra. Vera Gonzalez (fone 21 - 2267 3297).

....................
*
Divulgação:
Grupos Artforum Brasil UNIFUTURO
http://www.artforumunifuturobrasil.org/
*Fórum da Universidade Planetária do Futuro
*Agência Artforum Brasil Inovatus
-Direção Cultural: Ana Felix Garjan
........................................................................

Dançar é Escrever com o corpo, de Clevane Pessoa de Araújo Lopes

De: clevane pessoa

Data: 19 de maio de 2010 18:47

Assunto: Com meu abraço cordial, a quem ama a dança, um de meus peomas mais lidos e publicados.

Para: clevane pessoa





Dançar é Escrever com o Corpo

- Clevane Pessoa de Araújo Lopes

19/05/09

Dançar é escrever com o corpo

no espaço estendido á frente,

alongar-se,encolher-se,

rodopiar,

inclinar-se.

jogar-se em absoluta confiança

no Outro que a(m)para,

depois de centenas de ensaios...

Dançar é tocar música

com gestos,com os pés,

absolutamente sem voz,

na arrasadora maioria das vezes.



Dançar é interpretar com meneios

e oscilações impressionantes

ao nosso olhar supreso,

pois temos os pés no chão,

as nuances da mensagem,do enredo,

da palavra em das formas desenhadas

no espaço...



O corpo é o instrumento dos dançarinos:

suas mãos-libélulas,

suas mãos- borboletas,

suas mãos-colibris

escrevem versos no ar...

Seus pés com centenas de micro-fraturas,

seguem intinerários

que a cada instante

recomeçam

e recomeçam,

e se repetem...

A coluna é de borracha,de látex,de seda...

Curva-se,ancaixa-se,projeta-se.

e como dói,mas que importa,

se é o centro do soma?...



O rosto parece cheio de luz

e não revela os sofrimentos

nem os cansaços...

Há um sol em cadaum dos olhos,às vezes,um luar de ouro,

pois sempre brilham de prazer,

no vício sagrado

impossívelde desfazer

Já vi balerinos em cadeiras de rodas,

cada célula a vibrar,

como se fosse um palco

particular.

Já osvi com próteses de celulóide,em pleno vôo...

Já vi os que não mais podem

bailar,tornarem-se mestres,

para que osOutros possam dançar por eles...



Quemagnífica mensagem vemos nas sapatilhas

esfarrapadas e disformes,

que foram um dia de superfície lisa e brilhante,

cetim e forma...



Quantos já dançaram com pés sangrando,

joelhos inchados,microfraturas?



Quantos choravam lutos e perdas

enquanto sorriam?



O dançarino é feito de retalhos dos deuses,

lançados pela Terra,

para que não possam ser esquecidos

em sua divindade...

O dançarino tem um pouco de ave e de borboleta

ou libélula,ou pluma,ou floco de algodão,

ou pétala,ou poalha ,

a dançar na luz...
 
 
_________
Divulgação:
Fórum da Universidade Planetária
Agência Artforum Cultural Inovatus
Direção: Ana Felix Garjan
..........................................................

Movimento Paz e Poesia: Dia 25/05/2010, em Belo Horizonte - Minas Gerais

Repassando
http://www.avspe.eti.br/

--- Em ter, 18/5/10, clevane pessoa escreveu:
Amigos autores e editoras:

Mais uma vez, faremos o Paz e Poesia, desta feita, desdobrado em uma visita a um asilo de idosos (mandarei o endereço posteriormente) , dia 25 de maio e no dia 30, o evento tradicional, com a escrita de poemas pela PAZ nas camisetas dos poetas, com canetas para tecido, distribuição de livros, na feira de Arte e Artesanato da Afonso Pena, poemas para passantes e em semáforos.

Neste ano, o Restaurane D.Preta oferecerá um reforçado Café da manhã, antes de sairmos para a distribuição de rosas, livros e poemas.

As entidades que os poetas representam, serão devidamente lembradas.
Portanto, solicitamos aos petas que tiverem como doar livros, livretos, revistas e jornais literários, que nos enviem para:
Movimento Paz e Poesia
Rua dos Assitente Sociais, 244
Belo Horizonte
MG
30840-080

As edições não precisam ser novas, mas em perfeito estado.Serão embaladas, em mutirão.

Além disso, lembramos que participamos de Palabra en El Mundo, que já nos mandou um belo certificado que os doadores de livros e partipantes em Belo Horizontes receberão, uma vez que o Paz e Poesia está inscrito nesse evento mundial...

Lembramos que:
* São mais de dois mil recebedores de livros, na feira de Artesanato (Av Afonso Pena, Belo Horizonte), a partir das dez horas (*)
* Poeta quer ser lido, portanto, se tem sobras de edições em casa, ou se é uma editora e puder nos enviar, o sentido de levar poemas ao povo, envie-nos sua doação.
* Os Poetas Pela Paz e Pela Poesia , que organizam as ações do PAZ e Poesia, não têm fins lucrativos. O único bônus é a luta pela PAZ e pela POESIA, em seu lugar no Mundo.
*Poemas serão aos poucos, postados em :
poetaspoesiaepaz.blogspot.com/

Vejam mais fotos em (se não nos conhece, aproveite para saber mais sobre o PAZ
e POESIA
http://redecatitucultural.blogspot.com/2010/02/paz-e-poesia-2-ano.html

E a excelente cobertura dos poetas e comunicadores Diane Mazzoni e Bruno Grossi, participantes,com o desfile do BOI ROSADO (Boi levado por nosso parceiro Severino Iabá,criado em Homenagem a Guimarães Rosa e que no Paz e Poesia, distribui "mil rosas para o rosas "brancas pela PAZ ), em:
http://programatrilhasdeminas.blogspot.com/
Lembramos que uma grande parte dos Poetas pela paz e pela Poesia são também Embaixadores Universais da Paz, pelo Circle de les Ambassadeurs

Univ. de La Paix-Geneve, Suisse/Orange/France;
E que nós, da organização também representamos nossas afiliações e doadores divulgadores, e pessoas que nos cedem espaço:

CUAP (Círculo Univ. de Embaixadores da Paz) , Alô Vida, Rede catitu Cultural, IMEL ( Instituto Imersão Latina),virARTE, Pragmatha, ALB/Mariana, InBrasCI(instituto Brasileiro de Culturas Internacionais, Sociedade dos Poetas Vivos e Afins, do RN, Academia de Letras de Teófilo Otoni(ALTO), Casa do Cordel (Natal, RN, que nos doou livretos de cordel), Jornal Telescópio (Everi Carrara)

Movimento Cultural aBrace, CAPORI(Casa do Poeta Riograndense), Mulheres

Emergentes, Ateliê Iara Abreu, Restaurante D.Preta, Coletivo Contorno, AFEMIL, ADL,programa Mhario Líncoln do Brasil/Jornal, Memorial da Mulher (Natal/RN),AMI(Associação Mineira de Imprensa, que cede auditórioe espaço físico para reuniões), Academia de Letras de Cacheiro do Itapemirin(ES), ANELCARTES(Neves, MG),ADL(Boa a Esperança -MG), Editora ALBA(Aníbal Albuquerque),

AVSPE(Academia Virtual sala dos Poetas e Escritores), Poetas del MUNDO/MG, Imprensa zaP(Elisabeth Misciasci), Eunanet(Beth Misciasci), Sarau Tropeiro (BH/MG),MUNAP, Chancelaria do InBrasCI, na Ilha da Madeira(portugal), Palabra en El Mundo, n-Lusofonia (Algarve, Portugal-Ceicinha Câmara), Divulgadora Cultural(Flauzineide Moura-Natal/RN), Vivi Eventos Culturais(Vilmaci Viana) , Jornal Aldrava, Aldrava Letras e Artes,Valdeck Almeida de Jesus(...),Joaquim Evónio(Varanda das estelícias(Portugal), Lu Peçanha (Fotografias),Plurartes Editora, Guatá, Blocos Online(...)
Nestes dias, enviaremos a lista completa de doadores e divulgadores)

.Mande-nos suas afiliações.Já chegamos a distribuir mil e quinhentos livros e precisamos de mais.Una-se a esse grande movimento em prol da Poesia e da Paz!

Um livro ou cem livros, cem ou mil-importa é a grande confraternização pela PAZ e a divulgação da POESIA!
Envie livros, revistas, impressos culturais.Ou leve no dia 30, às dez horas, embrulhados para presente.
Portanto, doe, na medida de seu possível, livros, revistas e poemas impressos.

Poeta:
É melhor ser lido que esquecido! Repasse...

Repetimos:
Não temos outra finalidade que não seja a de distribuirmos Poesia e Paz, através de poemas impressos e declamados.
Divulgação:
Clevane Pessoa
Vice Presidente do instituto Imersão Latina
Diretora Regional do InBrasCi-Instituto de Culturas Internacionais.

....................................
Divulgação:
Fórum Cultural da Universidade Planetária do Futuro
Agência Artforum Cultutal Inovatus
Direção: Ana Felix Garjan
.................................................................................

I Concurso Internacional de lendas e Poesia Mulheres Emergentes

O Fórum Cultural da Universidade
Planetária do Futuro divulga matéria da


UNIÓN HISPANOAMERICANA DE ESCRITORES
POR LA LITERATURA Y POR LA PAZ
http://unionhispanoamericana.ning.com/profiles/blogs/i-concurso-internacional-de
I Concurso Internacional de lendas e Poesia Mulheres Emergentes (ME) -2010-En Portugués y Español
Publicado por Clevane Pessoa de Araújo Lopes el mayo 18, 2010 a las 5:36pm

Vejam e concorram, em http://mulheresemergentes.blogspot.com/

Visitem o blog de Tania diniz
I CONCURSO INTERNACIONAL DE LENDAS E POESIA MULHERES EMERGENTES (ME) - 2010

Seguindo a programação de celebração dos 21anos do mural poético ME, a poeta e editora Tânia Diniz, lança o I CONCURSO INTERNACIONAL DE LENDAS E POESIA MULHERES EMERGENTES, um desafio aos escritores, para a criação de lendas sobre qualquer tema.

Lenda s.f.

1. narrativa fantástica.

2. narrativa popular vista como fato histórico, mas sem comprovação.

(Minidicionário Houaiss da Língua Portuguesa/ Editora Objetiva, RJ, 2004, 2ª edição – revista e aumentada)

Uma Lenda
Era uma menininha de pele esverdeada e hábitos singulares.
Vagava pela floresta sempre só. Gostava de balançar-se nos cipós, subir nas árvores e implicar com os macacos.
Pendurava-se nos barrancos à beira dos rios para ver a correnteza e os peixes. Às vezes seus longos cabelos tocavam as águas.
E chorava. Chorava sempre, por tudo e por nada. Por um bichinho interessante, pela gostosa brincadeira, pela linda flor, por um arranhão no espinho, pelo por-do-sol, pela luz da lua. O verde de seus olhos boiava constante em lágrimas.
Um dia desejou ser tão bela como a vitória-régia.
Debruçou-se à beira do rio e contemplou a flor horas a fio, dias a fio. Olhava-a e esperava tornar-se como ela. E tanto chorou que acabou secando, o corpo fininho preso à margem, os dedos como raízes, os cabelos ao vento.
Então Ci, a deusa da floresta, que a tudo assistira de sua constelação, ficou com tanta pena dela que a transformou. E surgiu a Samambaia chorona.

Tânia Diniz
(in O Mágico de Nós, contos curtos, 2ª. edição 1989, BH)

Acesse o regulamento em http://mulheresemergentes.blogspot.com/:

PORTUGUÊS-Español

Divulgação:
Clevane Pessoa
Membro Honorário de Mulheres Emergentes
Vice Presidente do IMEL
Diretora Regional do InBrasCi.

--
Divulgação no Fórum da Uni Planetária:
Agência Artforum Cultural Inovatus
Direção: Ana Felix Garjan

CineClube latino do IMEL - Mulheres e Revoluções - Mulheres Breves, de Jaak Bosmans

O Fórum da Universidade Planetária do Futuro divulga, com satisfação, as notícias dessa importante matéria cultural, a seguir, onde o foco são as Mulheres e Revoluções e Mulheres Breves.

Blog de textos literários de Clevane Pessoa, artigos de psicologia,resenhas, notas,desenhos, releases e ecologia.
http://filtrodesonsesonhos.blogspot.com/2010/05/cine-clube-latino-do-imel-mulheres-e.html


filtrodesonsesonhos
quarta-feira, 19 de maio de 2010
CineClube latino do IMEL-Mulheres e Revoluções-MUlheres Breves-Jaak Bosmans

No Espaço Cultural Casa do Fernando , ao qual agora se incorpora o Instituto Imersão Latina, hoje, 19 de maio de 2010,convida para mostra: Mulheres e Revoluções, do Cine Clube latino do IMEL e exposição 100 anos de luta das mulheres.
Um dos filmes a serem discutidos e exibidos é "Mulheres Breves", de Jaak Bosmans, com a presença deste aos debates.
Nelsinho Pombo, que é da diretoria do IMEl, é reponssável pela organização do Cine Clube.
Espaço Cultural Casa do Fernando, sob a coodenação do poeta e fotógrafo Fernando Barbosa, funciona à Rua Francisco Bicalho, 668, Bairro Padre Eustáquio.

A partir das 19 horas.
Release enviado por Brenda Mars, Presidente do IMEL:

"Cineclube latino do IMEL exibe mostra Mulheres e Revoluções nesta quarta no Espaço Cultural Casa do Fernando.
O Cineclube Na Tela e o Instituto Imersão Latina (IMEL), com o apoio do Cineclube Movimenta, orgulhosamente apresentam o cine clube latino-americano e mostra fotográfica do IMEL no Espaço Cultural Casa do Fernando (rua Francisco Bicalho 668, bairro Padre Eustáqui - Belo Horizonte/MG), na próxima quarta-feira, 19 de maio, a partir das 19 horas.

O Espaço Cultural Casa do Fernando está localizado em uma casa que abriga um belo jardim “intra-muros”, e foi dedicada a ser espaço de cultura pelo repórter fotográfico, autor e diretor teatral Fernando Barbosa. Os filmes a serem exibidos no Cine Clube Latino. que apresenta uma retrospectiva do FELCO Festival Latinoamericano da Classe Obrera 2010 com a Mostra Mulheres e Revoluções são:

Rio de Mulheres (Brasil, 2009. 21’ – documentário – Dir. Cristina Maure e Joana Oliveira)

Em um ambiente muito seco, onde a água é escassa, mulheres vivem suas vidas em meio a crianças e outras mulheres à espera dos maridos que todos os anos deixam suas casas e vão para o sul em busca de trabalho.

Classificação: 16 anos
Chicha, esperanza y dolor (Rosa Teichmann e Guilhermo Kancepolsky –
Argentina – 52 min – 2008)
Documentário sobre Chicha Mariani, fundadora de Abuelas de Plaza de Mayo.

Além dos documentários do FELCO também haverá a exibição de:
Mulheres Breves, finalista do Festival de Cinema Feminino "Tudo sobre Mulheres", da Chapada dos Guimarães, em Mato Grosso, em 2006.

(Brasil - 12'05'' - 2005 - Produção e direção: Jaak Bosmans, roteiro: Kêmia Maria de Almeida Pereira e Jaak Bosmans, animação: Eliel Quaresma).

Mulheres breves é um vídeo-livro da obra da autora Kênia Maria de Almeida Pereira, ilustrado por Rafael Tannus, publicado pela Editora Scortecci SP em 2005, onde é retratada a diversidade feminina tanto no seu universo real como nos sonhos, tudo se insinua pela perspectiva poético-irônica. O vídeo entrelaça texto, xilogravuras e interpretação.Com este formato o vídeo Mulheres Breves propõe um novo acesso à obra literária , ganhando, portanto, um caráter experimental.

Realizado em Uberlândia com a colaboração da UNITRI
(através de recursos para a presença no Festival) e da VOZ da AMÉRICA (criação de trilha sonora especial e realizando toda a sonorização e mixagem final.)

Haverá debate com o diretor Jaak Bosmans após as exibições.

Além da mostra de filmes, haverá uma exposição de fotografia especial dos 100 anos do dia internacional das mulheres com fotos da jornalista e presidente do IMEL, Brenda Marques, da marcha das mulheres em ato unificado, em Belo Horizonte e algumas imagens enviadas da marcha de São Paulo, entre outras históricas.

O material exibido é parte integrante do acervo do Instituto Imersão Latina e do Espaço Cultural da Casa do Fernando, que estará aberto à visitação nos dias de cine-clube e de imersões culturais. A idéia é que o local se torne uma casa de referência da diversidade cultural latino-americana."

Mais informações:
Nelson Pombo Jr - nelsinho@imersaolatina.com
Coordenador do Cineclube Latina
Brenda Marques Pena - brenda@imersaolatina.com
Presidente do Instituto Imersão Latina
Divulgação:
Clevane Pessoa
Dados sobre MULHERES BREVES enviados por Jaak Bosmans
O Filme que levarei em DVD participou como finalista do I Festival de cinema
feminino "Tudo sobre Mulheres " da Chapada dos Guimarães em 2006.

Título: MULHERES BREVES
Duração:12'.05"
Categoria : Experimental

Sinopse: Vídeo -livro daobra Mulheres Breves da autora Kenia Maria de Almeuda Pereira, Ilustrado por Rafael Tannus, onde é retratadaa diversidade feminina tanto no seu universo real como nos sonhos, tudo se insinua pela perspectiva poético-irônica.O vídeo entrelaça texto, xilogravuras e interpretação.Com este formato o vídeo Mulheres Breves propõe um novo acesso à obra literária , ganhando, portanto, um caráter experimental.

Mulheres Breves foi publicado pela Editora Scortecci SP em 2005.
Produtora: Independente
Produção e direção: Jaak Bosmans
Roteiro: Kenia Maria de Almeida Pereira / Jaak Bosmans
Animação; Eliel Quaresma

Realizado em Uberlândia com a colaboração da UNITRI (através de recursos para a presença no Festival) e da VOZ da AMÉRICA ( criação de trilha sonora especial e realizando toda a sonorização e mixagem final.)"
"O Cineclube Na Tela e o Instituto Imersão Latina (IMEL), com o apoio do Cineclube Movimenta, borgulhosamente apresentam o Cine Clube Latino" -brenda mars

Postado por Clevane pessoa de Araújo Lopes às 10:08
Marcadores: Cine Clube latino do IMEL-Mulheres e Revoluções
_________
Divulgação: Fórum da Universidade Planetária do Futuro
Por Agência Artforum Cultural Inovatus
Direção Cultural: Ana Felix Garjan
Grupos Artforum Brasil Unifuturo
...................................................

Museu do Egito

Foto pesquisada
        Sarcófago de Tutankhamon, Museu do Cairo


Entrada do Museu Egípcio

Museu Egípcio, Cairo – Egito

Em um país cheio de mistérios como o Egito, a visitação a um museu é sempre muito interessante. O Museu Egípcio é composto por uma coleção de 136 mil objetos da antiguidade egípcia, que foram encontrados em diversas escavações ao longo do tempo.

Máscara de Ouro de Tutankhamon,
Museu do Egípcio 
Deuses Egipcios
O museu foi inaugurado em 1858 mas sua biblioteca, considerada uma das melhores do mundo em relação aos estudos da civilização do antigo Egito, só foi aberta em 1902. O Museu Egípcio é conhecido principalmente pelo tesouro do faraó Tutankhamon, que se conserva em seu interior.

Pesquisa:
Ana Felix Garjan

terça-feira, 18 de maio de 2010

Dia Internacional dos Museus: O mundo da arte da humanidade

História, Cultura e Arte
Dia dos Museus
por Ana Felix Garjan,
Agência Artforum Cultural Inovatus

Os museus são testemunhas da história. A história é mãe de todas as artes.

Nós dos Grupos Artforum Mundi Planet e Artforum Brasil UNIFUTURO somos apaixonados pela arte, galerias e museus! Assim, no Dia Internacional dos Museus, a Universidade Planetária do Futuro apresenta, em seu Fórum Universitário, alguns links de museus do Brasil e museus do mundo. Desde julho de 2008 listamos museus e galerias nos nossos sites Cidade Artes do Mundo e Artforum Brasil Unifuturo.

Existem os museus clássicos, sacros, históricos, temáticos e os mais contemporâneos que apresentam coleções de arte sobre assuntos os mais diversos. Os museus são a casa da história da arte, do tempo, das culturas. Todos os museus fazem parte da história, do patrimônio cultural do mundo e são testemunhas das cidades, países, continentes e da humanidade. No futuro os museus representarão a história do mundo.

A Universidade Planetária do Futuro apresenta, alguns museus no Brasil.

São Paulo
http://www.masp.art.br/
Museu de Arte de São Paulo - São Paulo. Abriga obras de arte de Velásquez, Rembrandt, Rafael, Cézanne, Monet, Renoir, Van Gogh, Matisse, Picasso e outros.
http://www.mam.org.br/
MAM - Museu de Arte Moderna - São Paulo.
Abriga obras de arte de Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Tomie Ohtake e outros.

MAC USP - Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo
http://www.mac.usp.br/mac/.

Rio de Janeiro
www.mamrio.com.br/

Museu de Arte Moderna - Rio de Janeiro
De linhas retas, jardins de Burle Marx, abriga obras de arte de Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Portinari.
www.mnba.gov.br/
Museu Nacional de Belas Artes - Rio de Janeiro. Prédio em estilo renascentista. Abriga obras de arte de Victor Meireles, Rodolfo Amoedo, Almeida Jr. Eliseu Visconti. Coleção de barrocos italianos e 8 obras de Franz Prost.

http://www.museuimperial.gov.br/
Petrópolis - RJ.

Curitiba
Museu Oscar Niemeyer
http://www.cutiriba-parana.net/oscar-niemeyer.html

Museus do Mundo

MoMA - The Museum of Modern Art
http://www.moma.org/
O MoMA foi fundado em 1929. É um dos mais importantes museus de arte moderna do mundo. Ele abriga obras de diversas áreas, como da arquitetura, pintura, design, fotografia, vídeos e escultura. Sua maior coleção é sobre o Modernismo, com um total de 3.2 mil obras desde o final do século 19 até os dias de hoje. São expostos no MoMA, grandes nomes como Vincent van Gogh, Pablo Picasso, Piet Mondrian, Auguste Rodin. Além da coleção permanente, há exposições temporárias e exibição de filmes. O museu apresenta a maior parte dos movimentos artísticos do século 20.

Musée Du Louvre
http://www.louvre.fr/llv/commun/home.jsp
Musée d'Orsay
http://www.musee-orsay.fr/fr/accueil.html

França
http://www.lyon.cci.fr/

França
http://www.museedelapub.org/

Estados Unidos
http://www.amnh.org/

Estados Unidos
http://www.metalab.unc.edu/

Estados Unidos
http://www.metmuseum.org/

Estados Unidos
http://www.tamu.edu/

Estados Unidos
http://www.artic.edu/

México
http://www.arts-history.mx/

Canadá
http://www.national.gallery.ca/

Canadá
http://www.mmfa.qc.ca/

Espanha
http://www.museoprado.mcu.es/

Alemanha
http://www.smb.spk-berlin.de/

Finlândia
http://www.nba.fi/

Israel
http://www.imj.org.il/
China
http://www.chinapage.com/

Japão
http://www.kyohaku.go.jp/

Reino Unido
http://www.nms.ac.uk/

Reino Unido
http://www.tate.org.uk/

Rússia
http://www.hermitagemuseum.org/

Suécia
http://www.nationalmuseum.se/

Vaticano
http://www.christusrex.org/ e http://www.vanmuseum.bc.ca/

Dados sobre dois importantes museus do mundo:
Museu Hermitage, São Petersburgo – Rússia


Localizado as margens do rio Neva, na Rússia, o museu Hermitage, um dos maiores do mundo, tem em seu acervo, iniciado pela czarina Catarina - a Grande, mais de três milhões de obras de arte. Fundado em 1764, o museu tem como prédio principal o Palácio de Inverno, uma antiga residência dos czares russos, além de outros cinco edifícios que o compõe. Considerado patrimônio arquitetônico mundial, o local possui itens de todas as épocas, estilos e culturas da história russa, européia, oriental e do norte da África. El Greco, Raphael, da Vince, Cézanne, Renoir e Picasso - nomes expostos entre as 1.057 salas do museu.

Museu Egípcio, Cairo – Egito
Em um país cheio de mistérios como o Egito, a visitação a um museu é sempre muito interessante. O Museu Egípcio é composto por uma coleção de 136 mil objetos da antiguidade egípcia, que foram encontrados em diversas escavações ao longo do tempo.
O museu foi inaugurado em 1858 mas sua biblioteca, considerada uma das melhores do mundo em relação aos estudos da civilização do antigo Egito, só foi aberta em 1902. O Museu Egípcio é conhecido principalmente pelo tesouro do faraó Tutankhamon, que se conserva em seu interior.

Página de links recomendados em maio de 2008, no portal de links Artforum Mundi Planet:
-Galerias e Museus do nosso site Artforum Brasil UNIFUTURO.
 O que nos Une: A Arte da Humanidade:
http://www.artforumunifuturobrasil.org/344001.html

"Os museus são testemunhas da história. A história é mãe de todas as artes".
Ana Felix Garjan

"Viva a Mata" - sexta edição em prol da Mata Atlântica em São Paulo.

Divulgação de notícias e eventos em prol da Mata Atlântica - Brasil

Entre os dias 21 e 23 de maio, das 09h às 18h, a Fundação SOS Mata Atlântica realiza a sexta edição do Viva a Mata - mostra de iniciativas e projetos em prol da Mata Atlântica, aberto ao público em geral na marquise e arena de eventos do Parque Ibirapuera, em São Paulo.
O evento conta com uma ampla programação gratuita para marcar o Ano Internacional da Biodiversidade e outras questões vitais do Bioma Mata Atlântica: palestras, debates, exposições de ONGs que atuam em diversas regiões com projetos pela conservação da Mata Atlântica, estandes temáticos, oficinas, peças de teatro, maquetes interativas, atividades com voluntários, entre outras manifestações.
Com mais de 80 mil participantes em sua edição anterior, o Viva a Mata tem como objetivos comemorar o Dia Nacional da Mata Atlântica (27 de maio), promover a troca de informações e experiências entre os que lutam pela conservação deste Bioma, realimentar o movimento ambientalista e informar e conscientizar a sociedade.
Serviço:
Data: 21 a 23 de maio
Horário: das 9h às 18h
Local: Marquise e arena de eventos do Parque Ibirapuera
Mais informações pelo e-mail comunicacao@sosma.org.br, pelo site www.sosma.org.br ou pelo telefone (11) 3055-7888. Escolas e grupos poderão agendar visitas monitoradas pelo e-mail comunicacao.apoio@sosma.org.br.
 
.........................................................
Divulgação:
Agência Artforum Inovatus
Universidade Planetária do Futuro
Coordenação: Ana Felix Garjan

domingo, 16 de maio de 2010

Edição eletrônica do livro "Direitos Humanos e Globalização"




DIREITOS HUMANOS E GLOBALIZAÇÃO

Fundamentos e possibilidades desde a teoria crítica

Anuário Ibero-americano de Direitos Humanos (2003/2004)
David Sánchez Rúbio, Joaquín Herrera Flores,
Salo de Carvalho (Orgs.)
ISBN 978-85-7430-946-0
EDIPUCRS - 2010

Na edição eletrônica do livro Direitos Humanos e Globalização, há um importante artigo intitulado:
"Neoliberalismo: o Declínio do Direito", de autoria do Professor Doutor Agostinho Ramalho Marques Neto.

Acessar o livro: http://www.pucrs.br/edipucrs/direitoshumanos.pdf

Brasil, 16 de maio de 2010
Colaboração:
Professora doutora Maria de Fátima Felix Rosar

Virada Cultural de São Paulo - Diversidade Cultural Brasileira

Viva a Diversidade Cultural brasileira!

http://viradacultural.org/progamacao

Brasil, 16 de maio de 2010

Agência Artforum Cultural Inovatus
Coordenação:
Ana Felix Garjan e Grupos
http://artforum-inovatus.blogspot.com/

quinta-feira, 13 de maio de 2010

A Semiologia dos discursos da publicidade, pela Profª. Ana Elizabeth da Silva Felix

Universidade Planetária

Espaço de intercâmbio de conhecimento cultural
e científico.
Por Ana Felix Garjan, 13/05/2010

Este blog da Universidade Planetária do Futuro é um Fórum Aberto aos seus diretores, consultores e convidados especiais. A Universidade prestigia os profissionais das áreas do conhecimento que nos enviam matérias relevantes de todas as áreas culturais, artísticas, ecológicas, meio ambiente, literárias, holísticas, filosóficas e científicas, que fazem parte do nosso universo transdisciplinar e dos Temas Transversais que interessam à humanidade e à sociedade contemporânea - futurista.

Estamos abertos para oportunizar mais espaços aos professores mestres e doutores que produzem conhecimento e que estão nas Universidades brasileiras, internacionais e em Centros de Pesquisa.



As bibliotecas virtuais se tornaram fontes de pesquisa e conhecimento. Dentre elas a Biblioteca Nacional. Um dos links da Biblio Virt é o da PDL. Vale a pena visitar, pois são vários os livros interessantes que estão blogados lá para download grátis para fins educacionais.

O ensaio teórico-científico resultado de Mestrado, da Professora Ana Elizabeth da Silva Felix está na Biblio Virt. Ele foi publicado pela Editora Central dos Livros-MA. Leia: Profa. Ana Elizabeth - A semiologia dos discursos da publicidade, que hoje pode avançar por todos os limites do Brasil.

O sonho do escritor, é que ele avance os limites do papel e seja acessível a todos que buscam pro saber e ciência, e que por motivos outros não têm acesso ao livro impresso.

A semiologia dos discursos da publicidade hoje pode avançar por todos os limites do Brasil (do Oiapoque ao Chuí), e do exterior.

Visite o link onde está a obra da Professora Ana Elizabeth da Silva Felix:
http://ebooksgratis.com.br/livros-ebooks-gratis/tecnicos-e-cientificos/comunicacao-a-semiologia-dos-discursos-da-publicidade-ana-elizabeth-da-silva-felix/
Obs.:
Vale a pena copiar o link e colar no local dos endereços e verificar quantos livros estão lá.

Grupos Artforum Brasil UNIFUTURO
Agência Artforum Brasil Inovatus
Coordenação e Edição: Ana Felix Garjan
http://artforum-inovatus.blogspot.com/

Revista Artforum Brasil Inovatus
http://revistaartforumcultural.blogspot.com/

domingo, 9 de maio de 2010

“Assim será nossa Amazônia”: Primeira campanha de impacto nacional

Primeira campanha da Amda de impacto nacional
“Assim será nossa Amazônia"
Foto: Georgiana de Sá














Publicitácio Jaak Bosmans conta como foi a idéia do slogan "Assim será nossa Amazônia"
HISTÓRIA E MEMÓRIA
Por Georgiana de Sá - Matéria exclusiva para o Jornal Ambiente Hoje (da Associação Mineira em Defesa do Ambiente - Amda)

O ano era 1979. Num ambiente político e social de repressão militar, a Amda iniciava sua luta sem trégua em defesa do meio ambiente. A maior região florestal e hidrográfica do mundo, a Amazônia, sofria a problemática da modernização planejada pelo regime militar. Desde 1964 que a região se tornara importante foco de atenção do governo pelo seu potencial de recursos naturais.

O governo federal anunciava planos desenvolvimentistas para ocupar os vazios da Amazônia, como solução para alguns problemas econômicos que dificultavam o crescimento do país. Neste ano, o presidente João Baptista Figueiredo tentava aprovar no Congresso um projeto de lei para a exploração de madeira na região, oferecendo incentivos fiscais para instalação de empresas e baixíssimos preços para aquisição de terras.

Preocupados com mais uma ameaça à estabilidade ambiental da floresta, os fundadores da Amda lançaram a primeira grande campanha da entidade. Com o Slogan “Assim será nossa Amazônia”, a campanha alcançou seu objetivo: o projeto foi derrotado no Congresso Nacional. Mas, para contar história e construir memória, o publicitário Jaak Bosmans guarda até hoje a página da revista Visão, de 17 de março de 1980.

O publicitário, então presidente do Clube de Criação Publicitária de Minas Gerais, abraçou a causa da Amda e criou o slogan da campanha ‘Assim será nossa Amazônia’. “Um ano depois do lançamento da campanha, numa passeata no Rio de Janeiro, uma moça sem camisa protestava segurando nosso cartaz. Eu guardo essa revista porque ela mostra a força desta campanha, de uma manifestação que se propagaria no tempo, como bandeira de protestos".












Jaak conta que o Clube de Criação Publicitária de Minas Gerais surgiu para compensar a culpa dos publicitários pelo binômio publicidade-consumismo. “Era uma válvula de escape para o publicitário que queria fazer alguma coisa em benefício da sociedade”, explica. Segundo ele, o clube apoiava entidades sem fins lucrativos e acolheu o projeto da Amda, comprometendo-se a criar um slogan que causasse impacto em poucas palavras, com visual forte e simples.

O publicitário lembra que foi convidado para algumas apresentações da Amda que mostravam a situação da Floresta Amazônica, palestras, filmes e simpósio, e se envolveu com o trabalho dos fundadores da Associação. “O que mais nos motivou a fazer essa campanha foi a atitude das pessoas da própria Amda. Todo mundo lá vestia a mesma camisa. Acreditar é importante para o sucesso de qualquer incitativa”, diz ele, se referindo ao idealismo do grupo de estudantes da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, Maria Dalce Ricas, Leonardo Fares Menhen, Francisco Mourão Vasconcelos, Paulo Roberto Paixão Bretas e Francisco Paes Barreto, criadores da entidade.

Jaak sorri ao lembrar como surgiu a idéia do slogan e se entusiasma para falar de um trabalho do qual ele se orgulha. “Um cartaz com foto colorida poderia produzir excelentes resultados, mas a Amda não tinha recurso para fazer policromias. Lembro de um maço de cigarros deixado sob a mesa do trabalho, ‘Chanceler, o fino que satisfaz’. A embalagem era em tom de azul degradê. Fique pensando em como o cigarro consome a vida de uma pessoa a cada tragada e, da mesma forma, a Amazônia poderia ser consumida pouco a pouco, em cada árvore desmatada.

Veio a idéia: Um verde degradê e a frase ‘Assim será nossa Amazônia’. Um verde que fosse ficando cada vez mais fraco até se extinguir. Essa era a mensagem, nossa Amazônia poderia desaparecer, o verde poderia acabar pouco a pouco como o degradê das cores. No fim do cartaz uma última e decisiva chamada: se você não entrar nessa briga”, narra o publicitário.

Jaak quis usar a palavra ‘briga’ porque, segundo ele, lutar contra as ações governamentais na Amazônia era como travar uma guerra com o governo militar. “Tinha que ser forte, porque o que queriam fazer também era muito violento. Era forte”, defende ele, concluindo que a campanha cumpriu seu papel com simplicidade e surpreendeu ao atingir nível nacional. “Com pouco dinheiro ou quase nada, a campanha foi um sucesso”, diz satisfeito.

O Engenheiro Químico Gilberto Caldeira Bandeira de Melo, professor do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental (DESA-UFMG), foi um dos estudantes que participaram da campanha da Amda. Ele recorda que saía de madrugada para colar cartazes nos tapumes que cercavam as obras na cidade. “Eu já participava do Movimento Estudantil de reconstrução da UNE. Os estudantes lutavam pela anistia aos exilados e presos políticos, mas na área ambiental a atuação estudantil era mínima e a Amda foi pioneira nesse tipo de mobilização”.

Segundo o professor, os anos 70 e 80 foram decisivos para os movimentos ambientais. Ele cita o surgimento do Conselho Estadual de Política Ambiental – Copam, criado em 1978, e das primeiras leis ambientais de Minas Gerais, como resultado de trabalhos como os da Amda. “Na época da campanha ‘Assim será nossa Amazônia’ o governo não pensava em legislação ambiental”, diz o professor, ressaltando que a preocupação dos militares era com o crescimento econômico e a ocupação da Amazônia só colocava em questão os motivos geopolíticos.
Gilberto conta que os estudantes tinham medo de serem presos por contestarem as ações do governo Figueiredo. “Ainda imperava o regime militar e era arriscado colar esse tipo de cartaz. O governo podia entender que era crime contra a segurança nacional, contra a ordem política e social. Por isso, os cartazes da Amda eram colados depois da meia-noite”, diz Gilberto.

Para a economista Maria Dalce Ricas, atual superintendente executiva da Amda, a campanha em defesa da Amazônia inaugurou em Minas a mobilização de massas em favor do meio ambiente.

“Antes dessa campanha a Amda já havia se mobilizado contra o Acordo Nuclear Brasil – Alemanha”, diz se referindo ao Acordo de Cooperação para o Desenvolvimento da Energia Atômica, assinado em 27 de junho de 1975, para fornecimento norte-americano de tecnologia nuclear para o Brasil. No entanto, Maria Dalce explica que a campanha em favor da Amazônia foi o primeiro grande sucesso da entidade, conseguindo reunir mais de 3.000 pessoas no Parque Municipal, num show musical gratuito. “Colávamos cartazes e madrugada, vendíamos adesivos nos sinais, promovíamos show, simpósio, sessões de filme sobre o ‘Projeto Jarí’ e palestras. Essas ações eram ganchos na briga, para mostrar ao povo como estava acontecendo a ocupação da Amazônia”, explica Dalce.

A superintendente conta que no dia da audiência para a votação do projeto do presidente Figueiredo, os ambientalistas da Amda alugaram ônibus e foram ate o Congresso Nacional, em Brasília, quando puderam assistir de perto a derrota do governo e comemorar o sucesso da campanha ‘Assim será nossa Amazônia’.

Retrospectiva da Amazônia
Para um dos fundadores e hoje conselheiro da Amda, o biólogo Francisco Mourão Vasconcelos, a campanha ‘Assim Será Nossa Amazônia’ serviu para esclarecer sobre o funcionamento dos ecossistemas da região amazônica e da composição de sua flora e fauna, conhecimentos ainda escassos na década de 70. “A Amda, preocupada com as conseqüências do projeto sobre a biodiversidade, elaborou um mapa demonstrando como os trechos de florestas que seriam concedidos pelo governo se sobrepunham às áreas de distribuição de algumas espécies de primatas consideradas endêmicas. Procuramos mostrar que, se o projeto fosse aprovado, poderia resultar em grave impacto ambiental”.

O biólogo lamenta que, mesmo diante do sucesso da campanha e da intensa movimentação da opinião pública, a devastação da floresta tenha avançado ao longo de uma série de ações. “Hoje, aproximadamente 17% da área original da Floresta Amazônica já foram destruídos, segundo dados do INPE. Podemos dizer que a situação poderia estar pior se o projeto fosse implantado. Mas, é necessário considerar que avaliações recentes sobre dinâmica e causas do desmate na região indicam que a formação de pastagens e a abertura de áreas para o plantio de soja são as grandes causas da perda de áreas florestais. A exploração madeireira ilegal continua avançando, independentemente das concessões. E, o pior, é que todas estas ações se fazem sobre terras públicas (devolutas). Ou seja, no final das contas, estas áreas são apossadas, e como historicamente se deu no país, o poder público não as recupera jamais”.

O conselheiro adverte que a atual gestão de florestas públicas para produção sustentável deve se desenvolver de modo a disciplinar a exploração madeireira e evitar o avanço do posseamento de terras públicas. “Hoje temos muito mais informações sobre a região amazônica e sobre o funcionamento de seus ecossistemas do que há trinta anos atrás. Esse conhecimento permite ao governo assentar estas concessões sobre bases técnicas e montar forte estrutura de fiscalização”.Francisco Mourão ressalta que os governos deixaram nascer na Amazônia cidades inteiras, cujas economias passaram a depender quase que exclusivamente da exploração da floresta. O biólogo cita o exemplo do município de Tailândia, no Estado do Pará, cuja população chega a 60 mil habitantes e a economia florestal é responsável pela geração de empregos e renda. “A concessão de área florestais, obedecendo às regras de preservação da floresta, é a única forma de direcionar estas populações para o desenvolvimento de atividades de forma menos danosa ao meio ambiente”, defende o conselheiro.

FONTE:
http://georgianadesa.blogspot.com/2008/05/assim-ser-nossa-amaznia-primeira.html

Barack Obama responde a Sérgio Antonio Meneguetti



O Renascimento do Haiti

“São das velhas sementes que se constroem o novo jardim”

Haiti, uma terra marcada pelo inicio com a escravidão,
Pelo passado pouco distante pela guerra e a violação,
Hoje marcada pela natureza com sua força de destruição.
Amanhã, será renascimento, com amor e construção.

Nos trilhos da vida o homem passa por varias estações, sendo estas necessárias as suas conquistas, liberdade e amadurecimento. É sua eterna caminhada.

O movimento rochoso nos recônditos na Terra, ação prática da natureza, vem nivelar todos os seres de um lugar.
Agora se misturam pobres e ricos, ignorantes e sábios, comandantes e comandados, política da esquerda com a da direita, velhos e moços, religiosos e ateus, homens e mulheres, fortes e fracos, amigos e inimigos, negros e brancos, orgulhosos e humildes, ociosos e trabalhadores, algozes e vítimas, patrões e empregados, doadores e egoístas, enfim, toda dualidade perde o que é efêmero, somente permanece o resultado da obra de cada um.

Enquanto o mundo garimpa as vitimas e a solidariedade, caridade e a compaixão se fazem presentes, aqueles que ficam tem o dever de reconstruir uma nação, porem, que esta seja mais sólida na sua essência que deverá ser a PAZ sem distinção.

Que os irmãos maiores deste globo cumpram com sua parcela de bondade, auxiliando com a matéria e o conhecimento. Ajudem a fazer deste lar de sofrimento um lugar novo onde a prosperidade seja dinâmica e produtiva.

Ensina a este povo a retirar do seu trabalho o seu crescimento, a esmola é bem vinda porem rapidamente se escoa e se perde no tempo.

Ao povo, quando enterrar seus mortos, enterrem também o passado negativo para manter somente suas qualidades e novas perspectivas de uma vida melhor.
Lembrem-se daquelas pessoas obstinadas no bem e na caridade que deixaram suas vidas em solo Haitiano. Eram muitas, e merecem toda a gratidão.

A dor. Esta que chega a todos mostrando o quanto o ser humano é frágil e o que realmente tem valor nesta vida. Ela vem no silêncio, às vezes mansa, outras vezes feroz mostrando todo seu poder, ela é ruim aos nossos olhos, mas também é uma benção que nos acorda das ilusões mostrando o caminho reto e bom (falta-nos apenas compreensão para com ela).
A dor detona o sentimento de amor e solidariedade no coração alheio, mexe com as emoções e desta forma o mundo se abranda e uma ânsia de melhora se faz presente, é o oposto da violência que gera a discórdia e o sentimento de vingança.
A história tem demonstrado que muito dos paises que sofreram catástrofes ou destruição bélica, se reergueram e se tornaram melhores do que antes do acontecido (tudo graças à força de vontade e ação de seu povo).

O Haiti é o cômodo do momento desta grande casa que requer atenção e reforma, não podendo esquecer que existem outros Haitis precisando de ajuda e atenção.

A cada moeda que se coloca no progresso dos nossos irmãos necessitados, com certeza esta terá o melhor dividendo no futuro, ou seja, a gratidão de se ter dado um passo além de nós mesmos.

Qual o maior escopo da vida senão a felicidade.
Que cada um contribua com sua cota para construção desta.

Fica o agradecimento a todos os heróis desta empreitada que de alguma forma contribuíram, contribuem e contribuirão para reconstrução deste lar Haitiano.

Sergio Antonio Meneghetti 18/01/2010
Thank you for your message‏
De:
The White House - Presidential Correspondence (noreply-WHPC@ whitehouse. gov)

Dear Friend: Thank you for writing regarding the situation in Haiti. The earthquake that struck Haiti on January 12 shocked the world. The loss of life is heartbreaking, and the suffering and destruction are devastating. The images of this tragedy remind us of our common humanity and have invoked our Nation's enduring spirit of generosity and compassion. My Administration has responded with a swift, coordinated, and aggressive relief effort, among the largest in our history. I designated Dr. Rajiv Shah, Administrator of the United States Agency for International Development, as our Government's unified disaster coordinator. He is leading America's effort alongside the United Nations, together with international aid and nongovernmental organizations on the ground in Haiti. I have also enlisted the help of Presidents Bush and Clinton, who have launched a major fundraising effort for Haiti, and those who wish to help should visit: ClintonBushHaitiFun d.org. With a pledge of our full support, I assured Haitian President René Préval that America stands by the Haitian people. We must meet their needs through sustained assistance to help Haiti recover and rebuild. Bringing relief to the millions who are suffering poses tremendous challenges-- navigating crumbled roads and damaged ports, and finding shelter for the homeless--but we must forge ahead to help restore the Haitian people's energy and optimism for a more hopeful future. We are fortunate that our Nation has a unique capacity to reach out swiftly and broadly, and Americans have always come together to serve others in times of great need. The dedication of our military personnel and rescue teams, and the goodwill of millions of Americans lending a helping hand, demonstrate the courage and decency of our people. To learn more about our efforts, visit: www.WhiteHouse. gov/HaitiEarthqu ake. We will stand with the people of Haiti and keep them in our thoughts and prayers.
Sincerely, Barack Obama
To be a part of our agenda for change, join us at www.WhiteHouse. gov

Leia: "Intuição, Ferramenta de Trabalho"Autor: Sergio Antonio Meneghetti
A Paz é Opção.www.poetasdelmundo. com
Artigos:www.administradores .com.br/sergio59

sexta-feira, 7 de maio de 2010

ÚLTIMA FOTO





Última Foto

Ilha de Sumatra (Indonésia)
Tsunami - 26 de Dezembro de 2004
É Impressionante!!!

Esta fotografia foi tirada na ilha de Sumatra (a onda mede 32 m!) e foi encontrada numa câmara digital, mês e meio depois doTsunami.

Provavelmente, quem tirou esta fotografia, deixou de existir segundos depois de ter acionado a máquina!

Ao autor desconhecido
(in memorian).


Pesquisa de Jaak Bosmans.
jaakbosmans@yahoo.com.br

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Universidade Planetária: Sínteses e Humanidades

                  Universidade Planetária do Futuro:
Espaço que respira a arte do Planeta e do Universo...

O tempo é testemunha dos projetos dos Grupos Artforum Mundi Planet, Artforum Brasil UNIFUTURO e do Grupo Artforum Renaissance Vie Universelle, que é o Grupo coordenador de todos os grupos e projetos da Sociedade Cultural Artforum Brasil Unifuturo, que registrou 10 anos de setembro de 2009.

Nossos projetos têm compromisso com a cultura de paz, defesa dos direitos humanos, da natureza e do planeta. Enfim, trabalhamos pelo "Mundo Melhor".

A Universidade Planetária do Futuro é mais um portal de projetos de futuro, que estão sendo organizados e divulgados nos meios virtuais de comunicação, de encontros e eventos presenciais entre pessoas que coordenam os Grupos Artforum Brasil Unifuturo através do Programa Universidade Aberta do Brasil, "Telhados do Mundo", onde são gerados os roteiros e agendas, a partir de estudos e pesquisa de conteúdos que interessam à Universidade, a partir da idealização da pesquisadora Ana Felix Garjan.

A Universidade Planetária do Futuro é um projeto previsto no PLANO ATUAL DA ARTFORUM BRASIL "NOSSA DÉCADA 2001-2010", que foi desenvolvido no contexto do Programa Universidade Aberto do Futuro "Telhados do Mundo", que registrou 10 anos de estudos, roteiros, fóruns, projetos, agendas culturais e programações dos Grupos Artforum Brasil UNIFUTURO.

O Plano ARTFORUM "Nossa Década 2001-2010", teve como referência maior a "Declaração do Milênio" da ONU - Organização das Nações Unidas, de 2000, na mudança para o século XXI e Terceiro Milênio, estes iniciados com problemas mundiais, como a guerra no Iraque, desastres aéreos, a queda do COLÚMBIA, com a morte de sete astronautas americanos, desastres ambientais, protestos mundiais e muita violência nas cidades e metrópoles.

A partir de então foi organizado o Programa Universidade Aberta do Futuro "Telhados do Mundo", como meio de desenvolvimento de estudos, pesquisas e projetos relacionados à humanidade, à natureza, ao planeta e ao futuro, numa visão holística e quântica dos Grupos Artforum Brasil XXI.

Estamos iniciando os novos passos dos Grupos Artforum Brasil UNIFUTURO, neste ano de 2010, que representa para nós, os bons resultados do ciclo de uma década de trabalho, sonhos e realizações no âmbito cultural, literário, artístico, ecológico, a partir de fóruns e congressos universitários, através do Programa Universidade Aberta do Futuro " Telhados do Mundo", que resultou na elaboração do documento fundamental dos Grupos Artforum UNIFUTURO:
O Manifesto Verde Pela Paz da Humanidade e do Planeta.

A Universidade Planetária do Futuro é em seu bojo fundamental o resultado de interações interdisciplinares no âmbito de centros de transferência de conhecimento e de universidades no Brasil e fora.

Os Grupos Artforum Brasil Unifuturo foram mantidos, durante dez anos pela Fundação Artforum Brasil - sociedade cultural privada, humanista e social, sem fins lucrativos, que apóia os projetos de Ana Felix Garjan e seus convidados.

A partir de 2010, uma vez que a missão do Plano "Nossa Década 2001-2010" foi cumprida, a Artforum Brasil XXI deixa de ser uma fundação patrocinadora da Artforum Brasil Unifuturo, e promove o processo de desenvolvimento da organização da Universidade Planetária do Futuro. Em sua estrutura registra patronos, membros-fundadores e membros participantes que estarão sendo convidados pela presidente da atual Universidade Planetária do Futuro.

No mês de abril deste ano de 2010 foram organizados roteiros especiais, mini - fóruns e encontros com membros fundadores e diretores da Artforum Brasil para a escolha de novas estratégias para o desenvolvimento de sua estrutura, a partir da tese cultural "Millennia Beaureallis" e "Fórum do Ser Humano".

A tese e roteiro é de autoria da socióloga Ana Felix Garjan, que é considerado o ponto de partida da Universidade do Futuro, desde 2001. Ela compartilhará com seus convidados novos espaços do Fórum da Universidade Planetária do Futuro, ao mesmo tempo em que conta com seus consultores para a definição de estratégias de continuidade para as próximas etapas de desenvolvimento da tão sonhada Universidade do Futuro em 2001, que foi registrada como projeto, a partir de fevereiro de 2009.

A Universidade foi aberta oficialmente no Dia Mundial da Terra, em 22 de abril de 2010, como um dia foi sonhada em 2001, através do Plano “Nossa Década 2001 - 2002. Ela foi escrita à base de muitos sonhos, trilhas e perseverança. E os comprovantes dessa trajetória já estão sendo organizados no Memorial da Artforum Brasil Unifuturo, que já possui história para o futuro.

Ficou decidido em reuniões, seminários e avaliações realizadas em dezembro de 2009, entre os membros fundadores, que o projeto Universidade Planetária do Futuro seria iniciada em fevereiro de 2010, para fecharmos o ciclo do Programa Universidade Aberta do Futuro “Telhados do Mundo”, que será transformado em CENTRO DE PESQUISA E TRANSEFRÊNCIA DE CONHECIMENTO.

Estamos em período de transição, pesquisa e organização do destino da Universidade Planetária do Futuro, através de roteiros, notícias e informações sobre os acidentes ambientais que estão acontecendo no planeta, desde o dia primeiro de janeiro deste último ano da primeira década do século XXI.

Na Universidade Planetária haverá a divulgação de notícias, fotos, imagens e matérias de jornais do mundo, sobre assuntos e grandes temas relacionados à humanidade, à natureza, ao planeta e futuro, bem como sobre o Programa Espacial da NASA e sua galeria de fotos, uma vez que os assuntos espaciais interessam ao Artforum Renaissance Vie Universelle e Artforum Mundi Planet.

A partir desse mês de maio de 2010, a presidência, vice – presidência, 2ª Vice - presidência, Conselheiros e Consultores, já têm autorização dos membros - fundadores e da presidência do Conselho da Universidade Planetária do Futuro, para convidarem professores, pesquisadores, profissionais de destaque nas diversas áreas do conhecimento e das organizações ecos-culturais.

Serão convidados representantes de comunicação, órgãos, centros culturais, universidades, empresas, centros de pesquisa, centros de referências e ONGs que tenham foco na educação e arte social, além de setores de cultura de cidades brasileiras e de outros países que poderão participar da Universidade Planetária do Futuro, através de cursos, seminários, congressos, encontros e conferências que estejam relacionadas aos temas planetários e universais, numa visão metodologia transdisciplinar, interdisciplinar e transversal.

A Universidade Planetária do Futuro manterá os mesmos conceitos, missões e compromissos de seus patronos e fundadores oficiais, diante dos temas que estão relacionados às questões da humanidade, da natureza, dos animais, do planeta, do universo e do futuro de nossas gerações.

A sinergia dos tempos na sociedade do NMM - Nosso Mundo Melhor é algo fundamental para a interação que motiva novos pensamentos, idéias, ideais e utopias, diante dos grandes temas, filosofias e teoremas que farão parte das bases teóricas multiculturais da futura grade curricular da nossa Universidade Planetária do Futuro, que terá um Centro Universitário de Biodiversidade sobre a Amazônia, florestas, oceanos, rios, cachoeiras, lagos, lagoas, animais e plantas brasileiras, que terá como patrona em memória, a bióloga Margareth Mee, inglesa que desenhou a flora da Amazônia no início do sec. XX.

A presidência, conselho, consultores, diretores dos departamentos da nossa Universidade Planetária do Futuro desejam que este espaço seja registrado como um projeto importante e relevante, na FAPESP, como a PRIMEIRA UNIVERSIDADE PLANETÁRIA DO FUTURO, para o século XXI.

Já temos em nossos laboratórios de estudos, pesquisa e permanentes sonhos e utopia, que se convertem em "ânima". Tudo faz parte do Centro permanente de referências sócio-culturais e ecológicas, para o início da segunda década do século XXI, para que seja registrado o fechamento do ciclo de tempo e dos espaços que foram construídos e organizados pela Artforum Brasil UNIFUTURO e seus projetos que seguirão o novo Plano ARTFORUM NOSSA DÉCADA 2011- 2020.

Os Grupos Artforum Brasil UNIFUTURO contam com apoios culturais de sua própria organização, e pretendem apresentar projetos a diversas instituições, para viabilizar patrocínios, apoios e permutas que facilitem os primeiros passos da UNIVERSIDADE PLANETÁRIA, no hoje e em seu futuro - amanhã.


Brasil, 06 de maio de 2010
Universidade Planetária do Futuro
Grupos Artforum Brasil UNIFUTURO

MEMBROS DA UNIVERSIDADE PLANETÁRIO

Membros Patronos e Homenageados
Membros Fundadores e Gestores
Membros Conselheiros e Consultores
Membros Diretores e Assessores

Representantes dos Membros Fundadores
Conselheiros e Consultores:

*Professora Doutora Maria de Fátima Felix Rosar
Pós- Doutorado em História e Filosofia da Educação

*Professor Doutor Orlando Oscar Rosar
Doutorado em Economia

* Professora Ana Elizabeth da Silva Felix
Mestrado Em Filosogia da Edicação

*Professora Ana Maria Felix Garjan
Socióloga, pesquisadora em arte, escritora, poetisa
Diretora Cultural dos Grupos Brasil Unifuturo

*Administrador José Lino Costa Félix
Consultor Administrativo de Projetos

*Consultoria de Ciências da Computação
Dr. Cláudio Henrique Fortes Felix

*Consultoria em Economia
Dr. Luiz Fernando Dortes Felix

*Consultoria de Marketing Cultural
Publicitária Luciana Fortes Felix
.........................................................

Universidade Planetária do Futuro
*Presidente
Professora Ana Maria Felix Garjan
Socióloga, pesquisadora, poetisa,
escritora, promotora de arte,

Diretora Cultural e coordenadora
do Programa Universidade Aberta do Futuro
"Telhados do Mundo"- Artforum Brasil - 10 anos

*Vice Presidente
Professor Jaak Bosmans
Diretor de Marketing, poeta,
Presidente da Academia de Artes, Letras
e Cultura Maestro Arthur Bosmans
Diretor do Núcleo Artforum Brasil XXI
em Belo Horizonte - Minas Gerais

*2ª Vice Presidente
Professora Zélle Tupinambá Bittencourt
Jornalista, Consultora de projetos oficiais,
Pesquisadora de Física quântica,
Coordenadora de Projetos culturais

*Conselheira e Consultora
Professora Dechen Ivy Francis Ashu
Sabedoria Ancestral para a Vida Moderna
Ensinamentos de Dharma

*Conselheiro e Consultor
Doutor Nelson Godoy
Pesquisador de História da Arte
Advogado, Pintor e Fotógrafo

*Diretora de Divulgação Cultural
Dra. Clevane Pessoa
Psicóloga, Jornalista, Poetisa, Pintora
Diretora de Projetos Institucionais

*Diretora de Projetos de Saúde
e Campanhas Humanitárias
Dra. Edna Santana

*Direção de Marketing e Publicidade
Agência Artforum Inovatus
Ana Felix Garjan, Luciana Felix,
Carla Elder Pletzer e convidados

*Consultor Professor Celso Silva Amohi
Medicina Oriental e Terapias
Centros de Meditação

Outros convidados
Grupos Artforum Brasil UNIFUTURO
http://www.artforumunifuturobrasil.org/
http://www.cidadeartesdomundo.com.br/

Abertura do espaço da Universidade do Futuro. Brasil, 28/12/2009

Na política do mundo globalizado está dada a largada para uma nova cadeia de intenções, atitudes e hábitos, diante das questões graves apresentadas pelos diversos cientistas e governantes dos 192 países que estiveram no encontro da cúpula da COP15, em dezembro de 2009. A nova estratégia de superação da crise do planeta e do mundo está sendo chamada de Nova Revolução Verde, pois o mundo já consome mais do que a natureza produz. Caberá aos homens e mulheres dos países, culturas e etnias descobrirem novas formas e hábitos que contribuam com a sustentabilidade que se faz necessária e urgente. O ano de 2010 será o Ano Internacional da Biodiversidade, e será muito importante para fechar a Primeira Década do Século XXI. A partir da Segunda Década o mundo iniciará, de forma mais veloz, o seu encontro com o Ano de 2050, onde estarão as novas fórmulas científicas que poderão garantir o futuro da humanidade do Planeta Terra. Ele é um orbe que tem seus sistemas independentes dos sistemas do homem, mas o mundo precisa refletir sobre suas atitudes em relação à natureza, aos animais, às águas, aos sistemas vivos, e às grandes causas da nossa humanidade. Brasil, 28 de dezembro de 2009. Ana Felix Garjan - Idealizadora do projeto Universidade Planetária do Futuro e membro da comissão dos fundadores da sociedade cultural, sem fins lucrativos: Grupos ARTFORUM Brasil XXI, que organizou o Plano Nossa Década 2001 - 2010 e o Programa Universidade Aberta "Telhados do Mundo" .
Nossos sites principais: : http://www.artforumunifuturobrasil.org/ - http://www.cidadeartesdomundo.com.br/ - http://www.cidadeartesdomundo.com.br/MV.html Cultura Humanista-Planetária por um mundo melhor.

Primeiro Documento Oficial da Universidade Planetária do Futuro

Aos vinte e três dias do mês de março do ano de 2010 - o último da Primeira Década do Século XXI foi realizado um Fórum – Conferência dos fundadores, diretores e consultores dos Grupos Artforum Brasil XXI e da Universidade Planetária do Futuro, após reuniões, roteiros metodológicos e projetos especiais registraram a organização da estrutura da Universidade Planetária do Futuro, considerando a primeira reunião realizada em dezembro de 2009. Foram aprovados artigos do documento filosófico da UNIFUTURO, para fins de sua institucionalização, em nome da História, da Filosofia, da Ciência e da Cultura Humanista-Planetária. ***ARTIGOS APROVADOS ***Artigo I - Que a ética humana, as filosofias, ciências, culturas, literaturas, linguagens e as tecnologias de todas as áreas e setores do mundo se voltem para a construção de novos projetos que contribuam para a construção de um novo mundo justo, pacífico e humanizado, nas próximas décadas, séculos e milênios. *** Artigo II - Que possamos contribuir com a justiça e a paz mundial, a partir de efetivas mudanças e da transformação da sociedade mundial e seus sistemas. Que sejam vivos e reais os Direitos e Deveres da Humanidade para com a Pessoa Humana, a Natureza, os Animais e o Planeta. Desejamos que sejam concretas as atitudes humanas e a solidariedade em prol de um mundo mais humanizado. ** Artigo III - Que os direitos humanos sejam respeitados em todos os países e territórios do mundo político e social. Que as Filosofias, Ciências, Culturas e Artes sejam conexões de justiça para os povos e cidades abandonadas do mundo. Que haja Justiça e Paz para as mulheres e seus filhos mortos/desaparecidos no Brasil e em todos os países. ***Artigo IV - Que todas as ciências, tecnologias, artes, linguagens estéticas, literatura e atitudes humanas contribuam para as mudanças que se fazem necessárias e urgentes, para a transformação da sociedade mundial. ***** Artigo V - Que as pessoas, grupos, comunidades, associações, organizações e instituições e governos cumpram com seus deveres e com seu papel transformador, no âmbito da sociedade onde estão inseridas. Que todo saber e conhecimento contribuam para o novo tempo do mundo, nesse início da segunda década do século XXI. ** Conclusão em síntese: Somos todos sementes da arte da humanidade da Terra, através da cultura, das ciências humanas, das ciências sociais e das tecnologias humanizadas, neste ano de 2010, e em nosso país, o Brasil que registra seus 510 anos de história, educação, cultura e literatura. *Somos semeadores do futuro e passageiros do amanhã. Que haja transformação das sociedades, em prol da Justiça e Paz da humanidade.*** Brasil, 23 de março de 2010 - Século XXI-Terceiro Milênio. Assinam este documento os Fundadores, Diretores, Coordenadores e Consultores da Universidade Planetária do Futuro. Brasil, 23 de março de 2010 - Último ano da 1ª Década do Século XXI.

Homenagens da Universidade Planetária do Futuro, em 2010

Nosso Tributo à África - seu povo e cultura; às Américas; aos cinco continentes, aos mares, oceanos, terras, povos do mundo, à diversidade cultural de hoje e do futuro. Homenagem ao Brasil - Cinco séculos de história, cultura e instituições oficiais. Homenagem aos representantes das etnias que formaram o povo brasileiro, e ao seu futuro. Homenagem aos grandes nomes da História, da Educação, da Cultura e Ciências, e das áreas do conhecimento científico desenvolvidos ao longo dos três milênios, nos séculos e décadas do mundo. Homenagem aos que lutaram e lutam pela Justiça e Paz Mundial em prol de um Mundo Melhor. Homenagem e reconhecimento às pessoas, grupos e organizações que trabalham pela Educação e Cultura Humanista - Planetária, em prol da nossa humanidade, da natureza e do planeta. Brasil, janeiro de 2010. Conselho Universitário, Diretores, Coordenadores e Consultores da Universidade Planetária do Futuro.

Universidade Planetária: Filosofias, Culturas e Ciências 2011.

*UNIVERSIDADE PLANETÁRIA DO FUTURO - Aos 25 dias de setembro de 2011 foi celebrado e divulgada e estrutura administrativa da Universidade Planetária do Futuro, para que ela possa atingir seus objetivos e missões. A presidência será formada por membros do Conselho Diretor , Coordenadores e Colaboradores. *Estrutura da Universidade Planetária do Futuro - UNIFUTURO: *Centro de Ciências Sociais *Centro de Pesquisa e Ciências do Meio Ambiente. *Departamento de Arte Educação. *Departamento de Comunicação, Divulgação Científica e Cultural. *Departamento de Projetos Especiais. *A Representação e divulgação da Unifuturo será desenvolvida através de sites, blogs e páginas em redes sociais *** Brasil, 25 de setembro de 2011. Bem-Vindos! Welcome! Bienvenidos!

Somos passageiros do futuro e trabalhamos pelo Mundo Melhor.

O "Manifesto Verde pela Paz da Humanidade e do Planeta", dos Grupos ArtForum Brasil XXI foi escrito em 2001, como resultado de fóruns e diálogos dos Grupos Artforum Renasissance vie Universelle, Artforum Mundi Planet, com grupos universitários e organizações de cultura e meio ambiente. Os fóruns foram coordenados por Ana Felix Garjan, que elaborou o texto - mantra do Manifesto Verde Pela Paz da Humanidade e do Planeta, em 2001. O manifesto inspirou a "Carta Magna" da Universidade Planetária do Futuro - 2ª Década do século XXI. *****Manifesto Verde pela Paz da Humanidade e do Planeta: http://www.cidadeartesdomundo.com.br/MV.html

Grupos Artforum Brasil XXI

Grupos Artforum Brasil XXI
Logo UNIFUTURO-Brasil XXI

Arquivo do blog