* UNIVERSIDADE PLANETÁRIA DO FUTURO, fundada em janeiro de 2010, pelos Grupos ARTFORUM Brasil XXI

*** Século XXI. A Universidade Planetária do Futuro - UNIFUTURO foi organizada em 2009.São seus Fundadores: As famílias: D.G.F.C., M. F. F. R., A.M.F.G., J.L.C.F. J.L.C.F. Os fundadores são patronos dos Grupo ARTFORUM Brasil XXI que foi organizado em 2001- XXI. Setores UNIFUTURIO: Conselho Universitário, Diretores de áreas acadêmicas, departamento e Grupos de pesquisa, comunicação, edição, divulgação de suas e matérias, artigos institucionais, academias, revistas, sites, blogs e matérias de convidados, como professores, doutores, jornalistas, e homenagens especiais. *** Enunciados da Carta Magna da UNIFUTURO: Os fundadores, patronos, a presidência, diretores, consultores e diretores do presidência do Grupo ARTFORUM Brasil XXI, do seu Projeto especial, Universidade Planetária do Futuro prestam tributo à Humanidade, à Paz Mundial, ao Brasil de 5 séculos; Aos povos da África e do mundo; A todas as etnias que formam o povo brasileiro; Às montanhas e aos picos da Terra; A todas as florestas; águas, oceanos, mares, rios, riachos e fuos de água dos cinco continentes; À Amazônia sua biodiversidade e à biodiversidade brasileira e do planeta. Brasil, março de 2009, Séc. XXI. Boas vindas! Bienvenidos! Welcome#

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Justiça para Sakineh Ashtiani. A pressão está aumentando, por Avaaz.com

A coordanação do Fórum da Universidade do Futuro
autorizou para que essa matéria fosse aqui divulgada.


deRicken Patel - Avaaz.org

para"anafelixgarjan@gmail.com"
data27 de agosto de 2010 04:22
assunto Caso Sakineh: a pressão está aumentando
enviado porbounces.avaaz.org
assinado por avaaz.org

Caros amigos,


Um número incrível de 33.317 pessoas fizeram doações para a nossa campanha de emergência pedindo justiça para Sakineh Ashtiani. Nós atingimos a nossa meta em apenas 12 horas após lançar a campanha e publicamos anúncios de página inteira em jornais importantes no Brasil e na Turquia e em anúncios online. Os anúncios (à direita) mostram o Primeiro Ministro Erdogan e o Presidente Lula segurando a foto da Sakineh com o título: “A vida dela está em suas mãos”.


A resposta foi imediata. Como o Presidente Lula já havia oferecido asilo à Sakineh, o nosso maior foco tem sido conseguir a adesão do Primeiro Ministro da Turquia, Erdogan. A mídia turca publicou a história em dezenas de jornais e noticiários, um jornalista turco respeitado até escreveu para a Avaaz agradecendo os nossos esforços.


Membros da Avaaz da Turquia e Brasil enviaram mais de 50.000 mensagens ao Lula e Erdogan nas últimas semanas, e membros na Turquia nos escreveram dizendo que a nossa campanha está por toda a parte. Os resultados foram incríveis: notícias recentes dizem que o PM Erdogan pediu para o seu governo levar adiante “uma intensa diplomacia via telefone” com o Iran a favor da Sakineh e o governo brasileiro também fortaleceu o seu posicionamento.


O Irã está claramente sentindo a pressão, como vimos na sua reação de atrasar e mudar o rumo da sentença. A pressão internacional salvou a Sakineh de ser apedrejada por adultério e impediu a sua execução até agora. Porém o regime agora diz que irá enforcá-la pelo assassinato do seu marido -- uma acusação que foi oficialmente removida 4 anos atrás. Duas semanas atras, a televisão iraniana mostrou imagens embaçadas e difíceis de ouvir, de uma confissão da Sakineh. Os advogados dela dizem que a confissão foi forçada após 2 dias de tortura.


Apesar do cenário sombrio, o fato do regime continuar adiando a revisão judicial do caso (o último adiamento foi anunciado ontem), e deles se darem ao trabalho de mostrar o caso em rede nacional, mostra que o nosso chamado por justiça teve uma forte repercussão. E nós sabemos que a pressão está funcionando além da Sakineh, semana passada o Irã rapidamente reviu e reverteu outras sentenças de apedrejamento para enforcamento e chicotadas para duas mulheres, uma de 25 e outra de 19 anos. E enquanto a opinião pública iraniana pode ser influenciada por estas táticas, o Iran sabe que está abalando o seu relacionamento com os seus dois únicos aliados, a Turquia e o Brasil, ao negar justiça para a Sakineh. A esta altura tudo que eles querem é encerrar este caso.

O julgamento da Sakineh foi um deboche da justiça até mesmo para os padrões iranianos. Se nós mantermos a pressão, há ainda uma chance de invalidar a sentença dela, e o tribunal ainda irá tomar uma decisão sobre a acusação de assassinato – e sem dúvida a decisão será mais política do que jurídica.

Vamos inundar as embaixadas ao redor do mundo com telefonemas, mensagens de voz e visitas. Eles terão que reportar os contatos à Teerã, quer terá noção da preocupação global em torno do caso. Os líderes do Irã dizem que a campanha pela Sakineh é uma cruzada ocidental, mas a comunidade da Avaaz está no mundo todo, e nós podemos mostrar que esta não é uma cruzada ocidental contra o Irã, mas sim uma campanha global por justiça. Abaixo está uma lista com os telefones das embaixadas iranianas. Veja também abaixo o que falar ao telefone, leva só dois minutos para ligar.

Juntos nós ajudamos a Sakineh a passar de uma vítima quieta de uma punição arcaica para um símbolo da luta pela justiça ao qual até os líderes mais poderosos do Irã tem que responder. A situação da Sakineh ainda é grave, porém é na sua hora mais sombria que a esperança tem mais força. Nós assinamos a petição e doamos para uma campanha de publicidade. Agora vamos pegar o telefone. Veja abaixo os números e o que falar.

Com esperança,

Ricken, Paula, Graziela, Pascal, Emma, Rewan, Ben, Alice e toda a equipe Avaaz


Veja os telefones das embaixadas (com números alternativos em parêntesis):

Australia (+61) 02 62907000

Austria: (+43) (0)1 712 2650

Belgium:(+32) 02 762 3745 (2 762 3771)

Brazil: (61) 3242-5733 (3242-5124 / 3242-5874)

Canada: (613) 235 4726

Denmark: (+45) 3916 0071

Finland: (+358) 9 6845391

France: (01) 4069 7900 (4069 7971/ 4069 7914 / 4069 7916 / 4069 7966)

Germany: (+49) (0)30 84353399

Greece: (+30) 210 674 1436

India: (+91) 11- 332 9600 (332 9601 / 332 9602 / 332 0491)

Ireland: (+353) 1 2188 5881 (288 0252 / 288 2967)

Italy: (+39) 06 863 28485 (8632 8486)

Japan: (+81) 3-3446-8011

Mexico: (+52) 55 9172 2699

New Zealand: (+64) 4 386 2976

Norway:(+47) 22 552 409

Portugal: (+ 351) 21 304 1850

South Africa: (+27) 12 342 5881

Spain: (+ 34) 91 345 01 12 (91 345 0116 / 91 345 0652)

Sweden: +46 (8) 636 36 00

Switzerland: (+41) (0)31 351 0801 (351 0802)

Turkey: (+90) 312- 468 2821

UK: (+ 44) (20) 7 225 3000 - switchboard

USA: (+1) (202) 965-4990


Se o seu país não estiver na lista, procure-o aqui:
http://www.iranchamber.com/embassy/iran_embassy.php
Se eles não atenderem, não se preocupe, significa eles entenderam o recado – e vamos deixar os telefones tocar sem parar. Se você não sabe o que dizer, não se preocupe, o telefonema em si é mais importante, mas veja 3 pontos simples para falar:

Você está aliviado que a sentença da Sakineh de morte por apedrejamento foi anulada, mas pede que o governo garanta o fim do apedrejamento no Irã.
Você está preocupada(o) que o julgamento da Sakineh não foi justo em relação à acusação de assassinato já que esta acusação havia sido anulada em julgamentos anteriores e pede a libertação imediata da Sakineh.
Peça para o governo iraniano dar um exemplo de justiça neste e em outros casos, adotando medidas para que nenhuma pessoa, sob a lei iraniana, seja executada por adultério, seja por apedrejamento ou qualquer outro tipo de execução.

A Avaaz é uma rede de campanhas globais de 4,9 milhões de pessoas que se mobiliza para garantir que os valores e visões da sociedade civil global influenciem questões políticas internacionais. ("Avaaz" significa "voz" e "canção" em várias línguas). Membros da Avaaz vivem em todos os países do planeta e a nossa equipe está espalhada em 13 países de 4 continentes, operando em 14 línguas. Saiba mais sobre as nossas campanhas aqui, nos siga no Facebook ou Twitter.

Esta mensagem foi enviada para anafelixgarjan@gmail.com.
Para entrar em contato com a Avaaz escreva para nós no link
www.avaaz.org/po/contact
...............................................
Brasil, 27 de agosto de 2010
 
Gupos Artforum Brasil XXI
Universidade Planetária do Futuro
"Sala Acadêmica Madre Tereza de Calcutá".
-Em Defesa do Direito à Vida
  ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Madre Tereza de Calcutá - Tributo dos Grupos Artforum Brasil XXI e Universidade Planetária do Futuro

Universidade Planetária do Futuro
Grupos Artforum Brasil Unifuturo

Tributo à Madre Tereza de Calcutá em seu centenário, na data de hoje,
dia 26 / 08 / 2010 - último ano da primeira década do século XXI.







A Paz
O dia mais belo? Hoje

A coisa mais fácil? Equivocar-se

O obstáculo maior? O medo

O erro maior? Abandonar-se

A raiz de todos os males? O egoísmo

A distração mais bela? O trabalho

A pior derrota? O desalento

Os melhores professores? As crianças

A primeira necessidade? Comunicar-se

O que mais faz feliz? Ser útil aos demais

O mistério maior? A morte

O pior defeito? O mau humor

A coisa mais perigosa? A mentira

O sentimento pior? O rancor

O presente mais belo? O perdão,

O mais imprescindível? O lar

A estrada mais rápida? O caminho correto

A sensação mais grata? A paz interior

O resguardo mais eficaz? O sorriso

O melhor remédio? O otimismo

A maior satisfação? O dever cumprido

A força mais potente do mundo? A fé

As pessoas mais necessárias? Os pais

A coisa mais bela de todas? O amor.

A paz começa com um sorriso
( Madre Tereza de Calcutá )

Não utilizemos bombas e armas para dominar o mundo. Vamos usar amor e compaixão. A paz começa com um sorriso - sorri cinco vezes por dia para alguém a quem não gostarias realmente de sorrir - faze isso pela paz. Então vamos irradiar a paz de Deus e assim acender a Sua luz e extinguir do mundo e dos corações de todos os homens todo o ódio e amor pelo poder.

Para renascer contigo.
( Madre Tereza de Calcutá )

Senhor, ajuda-nos a ver a tua crucificação e ressurreição como um exemplo de como suportar e aparentemente morrer na agonia e no conflito da vida diária, para que possamos viver mais intensa e criativamente. Aceitaste paciente e humildemente a repulsa da vida humana, tanto quanto as torturas da Tua crucificação e paixão. Ajuda-nos a aceitar as dores e conflitos cotidianos como oportunidades de crescimento denossa pessoa e de nos tornarmos mais semelhantes a Ti, atravessando-os paciente e bravamente e confiando que Tu nos apoiarás. Faze que compreendamos que só através de renúncias freqüentes de nós mesmos e de nossos desejos egoístas poderemos viver mais plenamente; só morrendo Contigo poderemos renascer Contigo.

Assim mesmo... (Madre Tereza de Calcutá )


Muitas vezes as pessoas são egocêntricas, ilógicas e insensatas.

Perdoe-as assim mesmo.

Se você é gentil, as pessoas podem acusá-la de egoísta, interesseira.

Seja gentil assim mesmo.

Se você é vencedora, terá alguns falsos amigos e alguns inimigos verdadeiros.

Vença assim mesmo.

Se você é honesta e franca,as pessoas podem enganá-la.

Seja honesta e franca assim mesmo.

O que você levou anos para construir,

alguém pode destruir de uma hora para outra.

Construa assim mesmo.

O bem que você faz hoje pode ser esquecido amanhã.

Faça o bem assim mesmo.

Dê ao mundo o melhor de você, mas isso pode nunca ser o bastante.

Dê o melhor de você assim mesmo.

Vida (Madre Tereza de Calcutá)


A vida é uma oportunidade, aproveite-a...

A vida é beleza, admire-a...

A vida é felicidade, deguste-a...

A vida é um sonho, torne-o realidade...

A vida é um desafio, enfrente-o...

A vida é um dever, cumpra-o...

A vida é um jogo, jogue-o...

A vida é preciosa, cuide dela...

A vida é uma riqueza, conserve-a...

A vida é amor, goze-o...

A vida é um mistério, descubra-o...

A vida é promessa, cumpra-a...

A vida é tristeza, supere-a...

A vida é um hino, cante-o...

A vida é uma luta, aceite-a...

A vida é aventura, arrisque-a...

A vida é alegria, mereça-a...A vida é vida, defenda-a...


Oração (Madre Tereza de Calcutá)
Mantenha seus olhos puros para que Jesus possa olhar através deles.

Mantenha sua língua pura para que Jesus possa falar por sua boca.

Mantenha suas mãos puras para que Jesus possa trabalhar com suas mãos.

Mantenha sua mente pura para que Jesus possa pensar seus pensamentos em sua mente.

Mantenha seu coração puro para que Jesus possa amar com seu coração.
Peça a Jesus para viver sua própria vida em você porque:
Ele é a Verdade da humildade.

Ele é a Luz da caridade.

Ele é a Vida da santidade.

(Textos pesquisados na Internet)
.................................................
"Ganxhe Bojaxhiu nasceu em 26 de agosto de 1910, na cidede Skopie, capital da Macedônia, em uma família católica. Sua mãe, Drana, era uma pessoa muito religiosa, e aos 12 anos Ganxhe despertou para sua vocação religiosa. A cidade se Skopie, vivia em constate conflito com a dominação turca, e em 1912 a cidade foi libertada e consegui sua independência".

Nós dos Grupos Artforum Brasil XXI e da Universidade Planetária do Futuro – UNIFUTURO temos honra em parabenizá-lo pela importante e justa matéria pelo centenário da Madre Tereza de Calcutá.

Em nosso "Fórum Maior da Academia Universitária" da U. P. F., essa matéria representa nosso tributo a ela que foi "Mãe da Paz da Humanidade", como a consideramos.

Sua memória receberá nosso tributo maior, através da "Sala Acadêmica Madre Tereza de Calcutá", que nessa data importante para a humanidade está sendo registrada na Universidade Planetária do Futuro, onde o nome da Madre Tereza de Calcutá será citado em cada campanha social humanitária, que aqui forem divulgadas.

Abaixo de cada texto deverá ser escrito:

Grupos Artforum Brasil XXI
Universidade Planetária do Futuro
"Sala Acadêmica Madre Tereza de Calcutá".

A resolução da Presidência da U.P.F. de nº 01/2010 é conferida pelos fundadores dos Grupos Artforum Brasil XXI e pela presidência da Universidade Planetária do Futuro, que resolve:

Institucionalizar a "Sala Acadêmica Madre Tereza de Calcutá", na data de 26 de agosto de 2010, no dia do seu centenário de nascimento.

A Universidade Planetária do Futuro possui sua Carta Magna onde é prestado tributo aos grandes nomes da história que lutaram para a construção de um Mundo Melhor, ao longo das décadas do século XX.
Nós dos Grupos Artforum Brasil XXI somos autores do Manifesto Verde pela Paz da Humanidade e do Planeta desde 2001, e o nome da Madre Tereza de Calcutá já era uma importante referência mundial da cultura de Paz e Humanitarismo.

Nossos conceitos maiores baseados na cultura de Paz, defesa dos Direitos Humanos, da natureza e do Planeta nos permitem registrar, esse tributo ao centenário da Madre Tereza de Calcutá, através desta matéria no Fórum Maior da Universidade Planetária do Futuro.




Brasil, 26 de agosto de 2010

Grupos Artforum Brasil XXI - 10 anos

Universidade Planetária do Futuro  - Ano I
Centro de Ciências Humanas
Centro de Ciências Sociais



Ana Felix Garjan
Diretora Cultural dos Grupos Artforum Brasil XXI
Presidente da Universidade Planetária do Futuro - Ano I
anafelixgarjan@gmail.com

Teoria ecológica - Agência FAPESP

Universidade Planetária
Divulga

Teoria ecológica


26/8/2010

Agência FAPESP – A revista Ciência & Ambiente, publicada pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), lançou uma nova edição inteiramente dedicada ao tema “Teoria Ecológica”, reunindo dez artigos de especialistas que analisam o assunto sob a perspectiva de diversas áreas do conhecimento.

Às vésperas da comemoração de seus 20 anos, a revista discute, no número especial, as críticas e perspectivas da teoria ecológica, as reiteradas tentativas de aplicação da ideia ecossistêmica às sociedades humanas, as múltiplas possibilidades de estudo dos sistemas ecológicos, considerando os elementos históricos, o papel da biodiversidade, as variantes genéticas e os padrões estatísticos, entre outros aspectos.

A edição especial celebra também os quase 20 anos de intercâmbio brasileiro com o pesquisador francês Pascal Acot, do Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS, na sigla em francês) e autor de diversos livros sobre a história da ecologia.

Os editores convidados para a 39ª edição da revista são o próprio Acot e Paulo Guimarães Jr., professor do Departamento de Ecologia do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP).

Neste número, a revista introduziu uma inovação: a publicação de artigos em língua francesa, além das línguas espanhola e portuguesa, ambas já contempladas desde o lançamento do periódico, em 1990.

Os outros autores dos artigos são Denis Couvet, Anne Teyssèdre, Patrick Matagne, Julien Delord, Dominique Gravel, Isabelle Gounand , Nicolas Mouquet, Elizabeth Baptestini, Marcus de Aguiar, Márcio Araújo, Sérgio dos Reis, José Alexandre Felizola Diniz-Filho, Levi Carina Terribile e Paulo Inácio Prado.

“Críticas recentes e perspectivas atuais da teoria dos ecossistemas”, “Regulações ecossistêmicas e sociedades humanas”, “História do conceito de ecossistema”, “Extinção e funcionamento dos ecossistemas”, “O papel da biodiversidade no funcionamento dos ecossistemas”, “Especiação espontânea em populações espacialmente distribuídas e padrões de diversidade”, “As implicações ecológicas da variação intrapopulacional”, “Componentes filogenéticos e adaptativos em padrões ecogeográficos”, “Distribuições de abundâncias de espécies” e “A estrutura e a dinâmica evolutiva de redes mutualísticas” são os artigos no volume.

Mais informações: http://w3.ufsm.br/reciam
 
 
 
Brasil, 26 de agosto de 2010
 
Grupos Artforum Brasil XXI
Universidade Planetária do Futuro
Departamento de Meio Ambiente
 
Departamento de Comunicação
Social, Cultural e Científica

 
...........................................
Agência Artforum Inovatus
Direção: Ana Felix Garjan
...........................................

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

NOSSA HOMENAGEM A MADRE TERESA DE CALCUTÁ NO SEU CENTENÁRIO


Madre Teresa de Calcutá
Missionária católica albanesa, nascida na República da Macedônia e naturalizada indiana beatificada pela Igreja Católica.
Em 1979 recebeu O Prêmio Nobel da Paz. Seu nome verdadeiro é Agnes Gonxha Bojaxhiu, (nascida em Skopje, aos 26* de Agosto de 1910 — Faleceu em Calcutá, aos 5 de Setembro de 1997).

Beata Teresa de Calcutá
Considerada a missionária do século XX, concretizou o projeto de apoiar e recuperar os desprotegidos na Índia. Através da sua congregação "Missionárias da Caridade", partiu em direção à conquista de um mundo que acabou rendido ao seu apelo de ajudar o mais pobres dos pobres.
Biografia
Agnes partiu para a Índia em 1931, para a cidade de Darjeeling, onde fez o noviciado no colégio das Irmãs de Calcutá.
No dia 24 de maio de 1931, fez a profissão religiosa, e emitiu os votos temporários de pobreza, castidade e obediência tomando o nome de "Teresa". A origem da escolha deste nome residiu no fato de ser em honra à monja francesa Teresa de Lisieux, padroeira das missionárias, canonizada em 1927 e conhecida como Santa Teresinha.

De Darjeeling foi para Calcutá, onde exerceu, durante os anos 30 e 40, a docência em Geografia no colégio bengalês de Sta Mary, também pertencente à congregação de Nossa Senhora do Loreto. Impressionada com os problemas sociais da Índia, que se refletiam nas condições de vida das crianças, mulheres e velhos que viviam na rua e em absoluta miséria, fez a profissão perpétua a 24 de maio de 1937. Com a partida do colégio, fez um curso rápido de enfermagem, que veio a tornar-se um pilar fundamental da sua tarefa no mundo.

Em 1946, decidiu reformular a sua trajetória de vida. Dois anos depois, e após muita insistência, o Papa Pio XII permitiu que abandonasse as suas funções enquanto monja, para iniciar uma nova congregação de caridade, cujo objetivo era ensinar as crianças pobres a ler. Desta forma, nasceu a sua Ordem – As Missionárias da Caridade. Como hábito, escolheu o sári, nas cores — justificou ela — "branco, por significar pureza e azul, por ser a cor da Virgem Maria". Como princípios, adotou o abandono de todos os bens materiais. O espólio de cada irmã resumia-se a um prato de esmalte, um jogo de roupa interior, um par de sandálias, um pedaço de sabão, uma almofada e um colchão, um par de lençóis, e um balde metálico com o respectivo número.

Começou a sua atividade reunindo algumas crianças, a quem começou a ensinar o alfabeto e as regras de higiene. A sua tarefa diária centrava-se na angariação de donativos e na difusão da palavra de alento e de confiança em Deus.

No dia 21 de dezembro de 1948, foi-lhe concedida a nacionalidade indiana. A partir de 1950 empenhou-se em auxiliar os doentes com lepra.

Em 1965, o Papa Paulo VI colocou sob controle do papado a sua congregação e deu autorização para a sua expansão a outros países. Centros de apoio a leprosos, velhos, cegos e doentes com HIV surgiram em várias cidades do mundo, bem como escolas, orfanatos e trabalhos de reabilitação com presidiários.
Ao primeiro lar infantil ou "Sishi Bavan" (Casa da Esperança), fundada em 1952, juntou-se o "Lar dos Moribundos", em Kalighat.
Mais de uma década depois, em 1965, a Santa Sé aprovou a Congregação Missionárias da Caridade e, entre 1968 e 1989, estabeleceu a sua presença missionária em países como Albânia, Rússia, Cuba, Canadá, Palestina, Bangladesh, Austrália, Estados Unidos da América, Ceilão, Itália, antiga União Soviética, China, etc.

O reconhecimento do mundo pelo seu trabalho concretizou-se com o Templeton Prize, em 1973, e com o Nobel da Paz, no dia 17 de outubro de 1979.

Morreu em 1997, aos 87 anos, mas o seu trabalho missionário continua através da irmã Nirmala, eleita no dia 13 de março de 1997 como sua sucessora. Tratado como um funeral de Estado, vários foram os representantes do mundo que quiseram estar presentes para prestar a sua homenagem. As televisões do mundo inteiro transmitiram ao vivo durante uma semana, os milhões que queriam vê-la no estádio Netaji. No dia 19 de outubro de 2003, o Papa João Paulo II beatificou Madre Teresa.

Fontes: wikipedia/pt.wikiquote.org/www.cancaonova.com



* Em algumas biograias consta a data do nascimento no dia 26 e em outras no dia 27.
 
Oração de Madre Teresa de Calcutá - Reflexão
Muitas vezes o povo é egocêntrico, ilógico e insensato,
- Perdoe-o assim mesmo.
Se você é gentil, o povo pode acusá-lo de egoísta e interesseiro.
- Seja gentil assim mesmo.
Se você for um vencedor, terá alguns falsos amigos e alguns inimigos verdadeiros.
- Vença assim mesmo.
Se você é honesto e franco, o povo pode enganá-lo.
- Seja honesto e franco assim mesmo.
O que você levou anos para construir, alguém pode destruir de uma hora para outra.
- Construa assim mesmo.
Se você tem paz e é feliz, o povo pode sentir inveja.
- Seja feliz assim mesmo.
O bem que você faz hoje, o povo pode esquecê-lo amanhã.
- Faça o bem assim mesmo.
Dê ao mundo o melhor de você, mas isso pode nunca ser o bastante.
- Dê o melhor de você assim mesmo.
Veja você que, no fim das contas, é entre VOCÊ E DEUS.
- Nunca foi entre você e o povo.
- Madre Teresa de Calcutá

Jaak Bosmans
-Embaixador da Paz pelo “Cercle Universel des Ambassadeurs de La Paix”
Genebra – SUISSA / Orange – FRANÇA-nº1019
-Presidente da Academia de Artes, Letras e Cultura “Maestro Arthur Bosmans”
http://academiadeartes-maestroarthurbosmans.blogspot.com
-Vice Presidente da Universidade Planetária do Futuro
-Curador de Arte e Poesia da U. P. F.
*U. P. F. - Presidente: Ana Felix Garjan
*GRUPOS ARTFORUM BRASIL UNIFUTURO
http://projetoartforumuniversidade.blogspot.com
http://revistaartforumcultural.blogspot.com
http://www.artforumunifuturobrasil.org
http://cidadeartesdomundo.com.br
-Coordenador do Núcleo ARTFORUM BRASIL XXI - B.Hte.
http://revistaartforumcultural.blogspot.com
-Cônsul B. Serra - B.Hte. - Poetas Del Mundo
http://www.poetasdelmundo.com/verinfo_america.asp?id=5366
-Membro da AVSPE- Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores
http://www.avspe.eti.br/biografia2010/JaakBosmans.htm
-Membro Colunista do Mural dos Escritores
http://muraldosescritores.ning.com/profile/ArthurJaakWilfridBosmans
-Humanista Honoris Causa, pelo Clube Brasileiro da Língua Portuguesa,
em razão da excelência de sua obra a favor dos Direitos Humanos
-Membro da CAPPAZ –Confraria Artistas e Poetas pela Paz-37972-     

domingo, 22 de agosto de 2010

Arthur Jaak Wilfred Bosmans, recebeu a Medalha "Mérito Cultural Anita Garibaldi", em São Paulo

Medalha "Mérito Cultural Anita Garibaldi"

O professor, cineasta, poeta e embaixador da Paz, Arthur Jaak Wilfred Bosmans recebeu a Medalha "Mérito Cultural Anita Garibaldi, em 15/08/2010, em São Paulo, por ocasião do lançamento do livro de arte "Cristal de Talentos", em São Paulo.

A “Federação das Academias de Letras e Artes do Estado de São Paulo – FALASP”,


Concedeu, ao Sr. Arthur Jaak Bosmans, as insígnias da Medalha “Mérito do Cultural Anita Garibaldi". (Símbolo de Bravura e Heroína dos Dois Mundos), Láurea Oficial da Associação Cultural “Arte das Águas”, Cadastrada no Almanaque de Condecorações do Exército Brasileiro e Registrada nos termos dos artigos de seus Estatutos Sociais, pelos Relevantes Serviços Prestados a Coletividade como reconhecimento aos seus dotes morais, cívicos, sociais e culturais.


A Cerimônia foi realizada no 15 de agosto de 2010, às 19:30 horas, na ABACH – Academia Brasileira de Artes, Ciências e História, no Pólo Cultural Casa da Fazenda do Morumbi, durante o lançamento do livro de artes “Cristal de Talentos”, antologia organizada pela artista plástica Adaljiza Cuan, representante municipal da FALASP para Boituva, acadêmica da AILA e ABLA.
 




FALASP
Federação de Letras e Artes do Estado de São Paulo

O Ilustríssimo Senhor Presidente da FALASP, Conde Thiago de Menezes concedeu a Medalha Anita Garibaldi, a personalidades indicadas, em diversas áreas e segmentos das artes e literatura.

Os indicados pela Sra. Acadêmica Adaljiza Cuan, foram representantes das artes, letras e cultura humanista, que são relacionados os Grupos Artforum Brasil Unifuturo - Universidade Planetária do Futuro.

O presentes receberam as insígnias da Medalha do Cultural Anita Garibaldi, na noite do dia 14 de agosto de 2010, na sede da ABACH, em São Paulo.


Síntese das atividades humanistas de Jaak Bosmans
Embaixador da Paz pelo “Cercle Universel des Ambassadeurs de La Paix”
Genebra – SUISSA / Orange – FRANÇA-nº1019
-Presidente da Academia de Artes, Letras e Cultura “Maestro Arthur Bosmans”
http://academiadeartes-maestroarthurbosmans.blogspot.com/


Vice Presidente da Universidade Planetária do Futuro
-Curador de Arte e Poesia da U. P. F.


-Coordenador do Núcleo ARTFORUM BRASIL XXI - B.Hte.
http://artforumunifuturobrasil.org/

-Cônsul B. Serra - B.Hte. - Poetas Del Mundo
http://www.poetasdelmundo.com/verinfo_america.asp?id=5366

-Membro da CAPPAZ –Confraria Artistas e Poetas pela Paz-37972-http://www.avspe.eti.br/biografia2010/JaakBosmans.htm

-Membro da AVSPE- Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores
http://www.avspe.eti.br/biografia2010/JaakBosmans.htm

-Membro Colunista do Mural dos Escritores
http://muraldosescritores.ning.com/profile/ArthurJaakWilfridBosmans

-Humanista Honoris Causa, pelo Clube Brasileiro da Língua Portuguesa,
em razão da excelência de sua obra a favor dos Direitos Humanos
http://clubedalinguaport.ning.com/profile/ArthurJaakWilfridBosmans

Receberam a Medalha do Mérito Cultural Anita Garibaldi, as  senhoras artistas plásticas, escritoras e produtoras culturais: Sra. Ana Luisa Kaminski, de Florianópolis - SC, Sra. Ana Maria Felix Garjan, de Fortaleza - CE, Sra. Staël Lara Lunna, de Campo Grande - MT, Sra. Zélle Tupinambá Bittencourt, de Curitiba - PR.

Ao senhor homenageado e às senhoras homenageadas, nossas congratulações!



Brasil, 22 de agosto de 2010
Grupos Artforum Brasil Unifuturo
Universidade Planetária do Futuro
Departamento de Comunicação Social
Assessoria Especial de Comunicação

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Homenagem à pintora brasileira Ana Luisa Kaminski

Conhecer, Reconhecer e Contribuir na perspectiva de um Mundo Melhor.

A sra. Ana Luisa Kaminski recebeu a Medalha do Cultural Anita Garibaldi, concedida pela FALASP - Federação de Academias de Artes e Letras do Estado de São Paulo, através de seu presidente Conde Thiago de Menezes, no dia 15 de agosto, na ABACH - Academia Brasileita de Artes, Cultura e História, em São Paulo, por ocasião do lançamento do livro "Cristal de Talentos", no qual é co-autora.
A pintora Luisa Kamisnki é Profa. de Arte,
gaúcha original de Erechim, RS.
Estudou pintura, flauta e piano e é graduada em Letras pela UFSC. Concluiu mestrato em Literatura Brasileira, em 2002, e atualmente reside em Florianópolis/SC.

Professora de pintura em tela e desenho, há quase vinte e cinco anos, expôs suas obras em diversas cidades e espaços, tendo sido premiada na IV Bienal de Roma, Itália, em 2004. Ainda neste ano participará de exposições em cidades brasileiras e italianas.

Atualmente exporá suas obras em Padova e Anzio, Itália no mês de novembro de 2010. Ana Luisa entende a Arte como um canal, ponte ou intervalo entre o visível e o invisível, entre o sonho e a realidade, entre o vazio e o pleno de sentido.

De acordo com Homi K. Bhabha, a Arte aponta para o Terceiro Espaço, uma zona liminar entre o certeza e incerteza, e pode desestabilizar, subverter e questionar, revelando novas opções e possibilidades a partir de suas “verdades inventadas”.

A profa. Ana Luisa Kaminski tem sido uma importante colaboradora da Universidade Planetária do Futuro, através de projetos da Artforum Brasil Unifuturo, sendo, entre eles, a Academia de Artes e Poéticas Clarice Lispctor, e o Projeto Pavillion Artforum. Ela é membro do Grupo de Curadores de Arte e Poesia da Universidade Planetária do Futuro e presidente da Academia de Artes e Poétias Clarice Lispector.


Ana Luisa Kaminski foi convidada pela presidente da Universidade Planetária do Futuro, Ana Félix Garjan, para participar do grupo de coordenadores do Projeto "Expedições culturais, artísticas e intercâmbios", para participar do projeto cultural "Mundos e Universos", e "Cartas ao Futuro" - de Mulheres Contenporâneas", sendo que este último foi lançado em 2008. 

Mas como esses projetos possuem alto valor cultural, ela preferiu que eles fossem relançados, a partir da interação entre os atuais participantes de projetos,  em parceria com o Departamento de Artes, de Comunicação Social e outtos da Universidade Planetária do Futuro.

Esses projetos foram idealizado pela socióloga,  escritora e artista plástica Ana Félix Garjan, em 2000-2001, quando inaugurou a 1ª versão do "Expedições Culturais - Brasil 500 anos" - 5 séculos de história, cultura e arte.

O projeto foi iniciado com foco nas comemorações oficiais entre Brasil e Portugal, e depois foram acrescentados os países da África, França, Itália e Holanda, pelos elos históricos, culturais e artísticos que unem esses países, a partir da história da cultura brasileira.


Fazem parte do Projeto "Expedições Culturais e Artísticas 2010" e do projeto "Mundos e Universos": Ana Felix Garjan, (idealizadora), Artur Jaak Wilfrid Bosmans, (vice - presidente da Universidade Planetária do Futuro), Zélle Bittencourt (presidente interina da U.P.F., Ana Luisa Kaminski (vice presidente da Academia de Artes e Poéticas Clarice Lispector, Lara Lunna Säell (diretora de marketing e publicidade cultural da academia Clarice Lispector e da Revista Artforum Planetária), Matilde Pereira da Silva ( professora em universidades do sul da França), e Outros convidados.

Nessa página de homenagem à Prof. Ana Luisa Kaminski, são também reconhecidos aqueles que se unem às propostas e projetos de cultura humanista, que a Universidade Planetária do Futuro propõe, a partir de sua Carta Magna que está sendo escrita pelos diretores culturais dos Grupos Artforum Brasil UNIFUTURO, em prol do desenvolvimento de projetos culturais, sociais, ecológicos e científicos.

Nossos aplausos, Hoje e Sempre, a Todos aqueles que de forma pública, notória ou anônima, contribuem com o fortalecimento de laços fraternos e solidários, em prol da construção de trilhas e novos caminhos rumo ao Novo Mundo Melhor, que estamos ajudando a construir.
Homenagens coletivas aos que se unem aos nossos propósitos de hoje e amanhã.

 
Brasil, 20 de agosto de 2010

Grupos Artforum Brasil Unifuturo - 10 anos
*Universidade Planetária do Futuro - Ano I
Departamento de Comunicação 

Links especiais:
*Revista Artforum Planetária
*Grupos Artforum Unifuturo
*Fórum Cidade das Artes
*Fórum Internacional de Mulheres do Futuro
Academia de Artes e Poéticas "Clarice Lispector"

Edição: *Agência Artforum Inovatus InteRnacional

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Peça para Rússia combater o tráfico sexual

O Futuro do nosso Planeta depende das ações do presente.












Um poderoso tratado é a nossa melhor arma contra o tráfico sexual global. Se a Rússia assiná-lo, haverá um impacto gigante neste horror. Nós precisamos de 1 milhão de vozes para apelar ao Primeiro Ministro Russo pedindo que ele assine o tratado e ajude a protejer meninas como a Oxana (acima): 



Acabamos de receber este poderoso apelo de um membro:

"A minha filha Oxana era um menina linda e maravilhosa, hábil com idiomas. Ela deixou a nossa casa aos 20 anos para assumir o trabalho dos seus sonhos como tradutora na Europa. Nós ficamos muito felizes por ela. 3 semanas depois a polícia nos disse que ela morreu ao pular do quinto andar de um prédio, tentando escapar dos homens que a enganaram oferecendo o emprego e forçaram ela a se prostituir. Eu morri quando ela morreu. Agora eu vivo para impedir que isto aconteça com outras meninas. Por favor, me ajude."

Oxana foi morta por uma indústria brutal que se expande ao redor do mundo - o tráfico sexual. Grande parte deste comércio é levar meninas russas para a Europa e Estados Unidos onde elas são submetidas a um futuro horrível de estupro e brutalidade.

Nós podemos acabar com este horror. Uma nova e poderosa convenção requere leis fortes para acabar com o tráfico sexual e o pai de Oxana, Nikolai está empenhado em fazer o Primeiro Ministro Russo, Putin, assiná-la. Putin cultiva uma imagem de homem macho, e nós podemos mostrar para ele que está é uma oportunidade dele ser visto como protetor das mulheres russas. O nosso objetivo é ter 1 milhão de vozes nos próximos dias para persuadir o Putin a agir. Clique abaixo para assinar e depois encaminhe este email para os seus contatos. Vamos transformar a luta de uma família em 1 milhão de motivos para ter esperança:

http://www.avaaz.org/po/russia_rape_trade_putin/?vl

A Convenção contra o Tráfico de Pessoas da Cimeira Européia estabelece altos padrões para o cumprimento da lei e combate aos criminosos que lideram o tráfico sexual. Se a Rússia assinar, sem dúvida milhares de garotas serão salvas todos os anos.

Isto irá ter um grande impacto sobre o tráfico sexual, o qual a Rússia é uma peça chave. Mais de 50.000 mulheres e meninas russas são forçadas à prostituição todos os anos na Europa e a Rússia é uma das principais rotas de meninas traficadas da Ásia para a Europa. Se o Putin investir pessoalmente nesta questão, ele poderá quebrar as redes de tráfico, enviando um sinal poderoso para o crime organizado no mundo todo. Pela Oxana, o seu pai e milhões de outras meninas em risco, vamos enviar este sinal:

http://www.avaaz.org/po/russia_rape_trade_putin/?vl

Enquanto muitos dos maiores problemas do mundo partem de intersses poderosos como o crime organizado, eles apenas persistem porque o resto do mundo se omite. Se todos nós agirmos, poderemos persuadir o Putin e a Rússia e se unirem a nós e juntos poderemos escrever o último capítulo da história trágica de Oxana e seu pai, um capítulo de esperança.

Com esperança por tudo de que esta comunidade maravilhosa é capaz,

Ricken, Alice, Emma, Ben, Maria Paz, Philippe e toda a equipe da Avaaz

Leia mais:

Tráfico é um problema comum na Rússia:
http://www.mwglobal.org/ipsbrasil.net/nota.php?idnews=947

Tráfico de pessoas movimenta US$ 32 bilhões por ano:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u89306.shtml

Tráfico de seres humanos: o escândalo do século XXI:
http://www.adital.org.br/site/noticia2.asp?lang=PT&cod=7812

Em inglês:

A Convenção contra o Tráfico de Pessoas:
http://www.coe.int/t/dghl/monitoring/trafficking/Docs/Convntn/default_en.asp

Reportagem com o pai de Oxana, Nikolai:
http://news.sky.com/skynews/Home/World-News/Russia-Accused-Of-Being-Complicit-Over-Sex-Trafficking-As-It-Closes-Foreign-Backed-Help-Centres/Article/201005415638768

domingo, 15 de agosto de 2010

"Cristal de Talentos", livro de arte lançado hoje, na Casa da Fazenda Morumbi - SP.


Hoje, dia 15 de agosto de 2010, às 19:30 horas acontecerá a noite do lançamento festivo do livro de arte "Cristal de Talentos", que foi lançado ontem, na 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

A Exposição dos artistas plásticos e poetas participantes do livro de arte CRISTAL DE TALENTOS, será inaugurada no evento de hoje, e ficará aberta ao grande público de 16 a 30 de agosto, na Casa da Fazenda Morumbi - São Paulo.

A exposição tem como curadora a Artista plástica e Comendadora Jiselda Oliveira,"Gigi".
Direção da ABACH, Prof. Michel Chelala, comendador.






Acontecerá momento especial promovido pela presidência da FALASP - Federação das Academias de Letras e Artes do Estado de São Paulo, nessa noite de lançamento do Cristal de Talentos.

A “Federação das Academias de Letras e Artes do Estado de São Paulo – FALASP”
Concederá, a diversas personalidades do mundo cultural, as insígnias da Medalha “Mérito do Cultural Anita Garibaldi” (Símbolo de Bravura e Heroína dos Dois Mundos), Láurea Oficial da Associação Cultural “Arte das Águas”, Cadastrada no Almanaque de Condecorações do Exército Brasileiro e Registrada nos termos dos artigos de seus Estatutos Sociais, pelos Relevantes Serviços Prestados a Coletividade como reconhecimento aos seus dotes morais, cívicos, sociais e culturais.
Essa cerimônia será realizada hoje, dia 15 de agosto de 2010, na ABACH – Academia Brasileira de Artes, Ciências e História, no Pólo Cultural Casa da Fazenda do Morumbi, durante o lançamento do livro de artes “Cristal de Talentos”, antologia organizada pela artista plástica Adaljiza Cuan, representante municipal da FALASP para Boituva, acadêmica da AILA e ABLA. (Obs: Cunhagem RANDAL Rio.)
A Exposição dos artistas plásticos e poetas participantes do livro de arte CRISTAL DE TALENTOS, estará sendo inaugurada nessa noite, e ficará aberta ao grande público, de 16 a 30 de agosto, na Casa da Fazenda Morumbi - São Paulo.

Os Grupos Artforum Brasil
Unifuturo e a Universiadade Planetária do Futuro estão entre os apoiadores culturais dessa obra literária, de valor cultural,que Une artistas plásticos, poetas, professores de arte, escultores e representantes de outros seguimentos das artes visuais.

A produção e realização do Livro Cristal de Talentos foi realizada pela Guarshop Produções. As senhoras diretoras Glicia Barreto e Leila Blanco estão de parabéns pela excelente resultado do conjunto desse livro de arte, que foi  idealizada pela Sra. Adalziza Marta Machado Cuan, Artista plástica e curadora.

A idealizadora do livro, Adaljiza Cuan, os artistas plásticos e poetas co-autores, colaboradores, apoiadores culturais e personalidade das artes estarão juntos nessa noite! E todos merecem os aplausos dos Grupos Artforum Brasil Unifuturo - 10 anos.

Brasil, 15 de agosto de 2010

Grupos Artforum Brasil Unifuturo - Universidade Planetária do Futuro
Assessoria de Comunicação UPF & Agência Artforum Brasil Inovatus
http://artforum-inovatus.blogspot.com/

sábado, 7 de agosto de 2010

4º Seminário "Tecnologias Estratégicas Brasil e Itália", pela Agência FAPESP

Universidade Planetária do Futuro

Divulga matéria da Agência FAPESP
Agenda


4º Seminário Tecnologias Estratégicas Brasil e Itália
6/8/2010

De 16/9/2010 a 17/9/2010

Faltam 41 dias para o início do evento. Duração: 2 dias

Agência FAPESP – Nos dias 16 e 17 de setembro, o auditório do Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém (PA), receberá o 4º. Seminário Tecnologias Estratégicas Brasil e Itália.

Farão parte do evento os painéis: “Materiais e processos inovadores para a indústria sustentável: siderurgia, energia, óleo e gás natural”, “Design: novos moldes para a indústria madeireira”, “Cidades digitais: desafios para expansão da internet” e “Parques tecnológicos: experiências bilaterais”.

O seminário é organizado pelo Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação (Consecti), pela Embaixada da Itália no Brasil e pela Secretaria de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia do Estado do Pará.

O Centro de Convenções e Feiras da Amazônia fica na Av. Dr.Freitas, s/n, Belém (PA).

Mais informações: laura@consecti.org.br e (61) 3039-9446/9447.


==========================

Brasil, 07/08/2010


Grupos Artforum Brasil UNIFUTURO
Universidade Planetária do Futuro
Centro de Ciências Humanas e Sociais

Universidade Planetária do Futuro
Departamento de Comunicação Social,
Cultural e Científica

Diretoras:
Ana Felix Garjan, Maria de Fátima Felix Rosar
Luciana Fortes Felix, Carla Elder.
...

Sobreviventes de Hiroxima estigmatizados no Japão, por Suvendrini Kakuchi, da IPS

Universidade Planetária do Futuro

Divulga matéria do IPS/Envolverde

05/08/2010 - 12h08



Sobreviventes de Hiroxima estigmatizados no Japão

Por Suvendrini Kakuchi, da IPS

Tóquio, Japão, 5/8/2010 – A japonesa Toshiko Hamamako se ergueu trêmula e se dirigiu ao público, mas não por pânico diante das pessoas. Seu problema começou há décadas. No dia 6 de agosto de 1945, quando era menina, os Estados Unidos lançaram a bomba atômica sobre a cidade japonesa de Hiroxima, 700 quilômetros a oeste de Tóquio. Três dias depois lançaram outra sobre Nagasaki e pôs fim à agressão japonesa e ao conflito no Pacífico.


Toshiko só recentemente se atreve a falar em público sobre sua vida, 60 anos após o ocorrido. “Ficava aterrorizada ao falar de pé, diante do público, mas também foi uma experiência pessoal importante”, disse a mulher de 66 anos, na conferência sobre o Tratado de Não Proliferação Nuclear (TPN), realizada em maio em Nova York. Junto a ela havia outros hibakusha, sobreviventes da bomba atômica. Seus relatos sobre doenças e tratamentos dolorosos continuam sendo uma prova poderosa da devastação causad a por essa arma letal.


Seu sofrimento não foi apenas pelas queimaduras da radiação e os consequentes problemas médicos, mas pela estigmatização e discriminação que sofrem os sobreviventes e suas famílias. “Somos evitados porque estávamos contaminados”, contou Toshiko. Os filhos dos sobreviventes também são estigmatizados. “Contei o quanto é horrível ser uma hibakusha”, relatou Toshiko, que agora vive com o marido e a filha em Saitama, bairro da zona oeste de Tóquio.


“Minha mãe nunca me falou daquela época porque não gostava de recordar o prolongado sofrimento que viveram ela, minha irmã e toda a vizinhança. A radiação as afetou muito, têm queimaduras que nunca se curaram”, acrescentou. Quando Toshiko se casou, seu marido a fez prometer manter segredo de sua condição para não serem discriminados. “Respeitei seu desejo. Foi há dois anos que decidi falar e estou contente por isso. Agora me dou conta da importânci a que tem minha história para o mundo”, acrescentou.


“Sabia que chegava a eles”, disse Hiroshi Nakamura, de 67 anos, que falou na mesma conferência que Toshiko. “Minha mensagem sobre os horrores da bomba atômica teve muito mais efeito do que muitos livros e filmes”, afirmou. Os relatos dos sobreviventes não serão sobre a catástrofe propriamente dita porque eram muito jovens, mas os ativistas afirmam que realçam as consequências do bombardeio e da exclusão social que duraram anos. “Pessoas como Toshiko são fundamentais para que o mundo aprenda a lição de Hiroxima”, disse o professor Mitsuo Okamoto, responsável pelo Centro para a Paz e a Não Violência, de Hiroxima. “Seus relatos são uma continuação do trabalho desempenhado pela geração mais velha de sobreviventes, cujas narrações daquele dia fatídico impulsionaram ações globais pela paz”, acrescentou.


Segundo as estatísticas, são 162 mil sobreviventes reconhe cido s oficialmente, mais de 60% têm entre 70 e 80 anos, e sofrem de doenças relacionadas com a radiação, como câncer e estresse. A bomba de urânio, lançada por aviões norte-americanos sobre Hiroxima, criou uma enorme nuvem de radiação na forma de cogumelo e deixou 140 mil mortos, 40% da população da cidade. O número de vítimas em Nagasaki foi semelhante, 73.884 desapareceram na hora e outras 74.909 ficaram feridas.


Dos 1.500 hibakusha, de aproximadamente 60 anos, entrevistados para uma pesquisa realizada em julho pelo jornal Asahi, 61% disseram que começaram a se abrir e contar suas histórias depois de 2005. Muitos analistas afirmam que o prolongado silêncio se deve ao estigma social e ao medo de não poder casar porque numerosos japoneses acreditam que a saúde dos filhos e netos de hibakusha não é boa. Hiroshi, de fato, compara sua situação com a de uma condenação à morte porque não sabe quando terá diagnosticada uma doença relaciona da com a radiação.


Este ano, Hiroshi se sente animado com a notícia de que o secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon, decidiu participar da cerimônia de 65 anos do lançamento da bomba atômica sobre Hiroxima. Também participarão, pela primeira vez, representantes dos Estados Unidos, da França e da Grã-Bretanha. “Nos dá uma grande força para seguir adiante”, disse Hiroshi, que perdeu sua mãe para o câncer.


A reação de seus compatriotas é um dos grandes obstáculos a ser vencido pelos hibakusha. Sobreviventes e ativistas se queixam de que os livros não fornecem informação suficiente sobre o conflito no Pacífico nem sobre a Segunda Guerra Mundial, em especial sobre o papel do Japão e sua cruel colonização dos países da região. “Muitas vezes sinto que os japoneses acreditam que fomos um aborrecimento porque sempre revivemos o papel do Japão na Segunda Guerra Mundial. É triste, “lamentou Toshik o. “Ma s, continuaremos falando”, finalizou. Envolverde/IPS.


(IPS/Envolverde)

============================

Brasil, 07/08/2010


Grupos Artforum Brasil UNIFUTURO
Universidade Planetária do Futuro
Centro de Ciências Humanas e Sociais

Departamento de Comunicação Social,
Cultural e Científica

Diretoras:
Ana Felix Garjan, Maria de Fátima Felix Rosar
Luciana Fortes Felix, Carla Elder.

O inalienável direito de saber a verdade, por Navi Pilay

Universidade Planetária do Futuro
Divulga matéria do IPS/Envolverde

05/08/2010 - 12h08

O inalienável direito de saber a verdade

Por Navi Pilay*

Genebra, Suíça, agosto/2010 – A recente sentença do Tribunal Interamericano de Direitos Humanos, que ordena ao Brasil a revisão de sua lei de anistia, representa um marco crucial na luta contra a impunidade em uma região que ainda precisa compreender plenamente, e enfrentar, as atrocidades cometidas durante vários dos conflitos internos nas últimas décadas. As leis de anistia que ignoram intencionalmente as violações dos direitos humanos não só distorcem os registros históricos que cada país tem de formular como também minimizam o sofrimento das vítimas e diminuem seu direito de saber a verdade e obter uma reparação.


Os governos costumam justificar sua recorrência às leis de anistia gerais em nome de uma rápida conciliação, nacional ou regional. Contudo, a história mostra que eximir os autores da prestação de contas, ao mesmo tempo em que nega a justiça e a reparação às vítimas, provavelmente provocará novos conflitos, em lugar de sanar as feridas do passado. Quando são concedidas anistias no afã e na ânsia de virar a página dos conflitos, ou para a razão mais sinistra de encobrir os abusos, sua revogação sempre deve ser uma opção aberta a ser tomada na primeira oportunidade.


No entanto, na América do Sul e em outros lugares, o esquecimento continua sendo ativa e oportunamente promovido por meio de leis antigas e novas. Isso ocorre apesar do fato de que, como o Tribunal Interamericano de Direitos Humanos assinalou, deixar indefesas as vítimas e perpetuar a impunidade na prática ou por mandato legal são atos manifestamente incompatíveis com a letra e o espírito da Convenção Americana sobre Direitos Humanos.


Um desses casos é o do Brasil, onde o Tribunal Superior de Justiça negou a possibilidade de modificar a lei de anistia de 1979, afirmando que os crimes cometidos durante a ditadura foram “atos políticos”. No Chile, a lei de anistia continua vigente, 3 2 anos depois de sua promulgação, apesar do repúdio internacional após as inúteis tentativas de condenar o ex-ditador general Augusto Pinochet. Além disso, a possibilidade de ser concedido indulto a determinados violadores de direitos humanos, por ocasião do Bicentenário em setembro, está em debate atualmente.


No Uruguai, o partido do governo freou a apresentação de um projeto de lei que permitiria a libertação dos autores de violações de direitos humanos em razão de sua velhice. Nesse contexto, medidas para melhorar a prestação de contas são ainda mais notáveis. Na Argentina, país com maior número de julgamentos por direitos humanos no mundo, os tribunais continuam presidindo os casos de crimes de lesa humanidade e graves violações dos direitos humanos cometidos durante a guerra suja de 1976-1983 no país. O ex-ditador Rafael Videla está novamente no banco dos réus pelos abusos contra direitos humanos cometidos nessa época.


A Argentina demonstra que o conhecimento da verdade é um direito que não tem nenhum estatuto de limitações. Também é um direito que ninguém pode negar ou a ele renunciar. Toda pessoa e cada sociedade tem o direito de saber quem viola os direitos humanos e saber a razão, quando, onde e como foram cometidos os crimes, bem como de ser informado sobre o destino das vítimas.


As anistias que enterram a verdade e eximem os responsáveis por crimes do passado contra os direitos humanos podem prejudicar a perspectiva de construir sociedades justas e seguras no futuro. A impunidade incentiva o ressentimento e a falta de confiança nas instituições de governo. Inspiram alguns autores a cometerem novos crimes e também podem incentivar outros a unirem-se às fileiras dos violadores de direitos humanos.


A posição das Nações Unidas com relação às anistias não pode ser mais clara: não são admissíveis se evitam o julgamento de pessoas que pos sam se r penalmente responsabilizadas por crimes de guerra, genocídio, crimes contra a humanidade ou violações graves dos direitos humanos, incluídos os crimes que se dirigem especificamente às mulheres, bem como os relacionados com gênero.


O exercício destes direitos é incompatível com a impunidade normativa ou de fato. Os países do hemisfério ocidental devem prestar atenção à sentença do Tribunal Interamericano e entregar a justiça negada durante tanto tempo às vítimas das violações dos direitos humanos.



* Navi Pillay é Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos.


(IPS/Envolverde)

============================
Brasil, 07/08/2010

Grupos Artforum Brasil UNIFUTURO
Universidade Planetária do Futuro
Centro de Ciências Humanas e Sociais

Departamento de Comunicação Social,
Cultural e Científica
Diretoras:
Ana Felix Garjan, Maria de Fátima Felix Rosar
Luciana Fortes Felix, Carla Elder
....

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Churchill acusado de esconder OVNI

Churchill acusado de esconder OVNI
Mais de 50 anos depois, um cientista vem denunciar que o ex-primeiro-ministro britânico encobriu o encontro entre um OVNI e um avião bombardeiro
Winston Churchill foi acusado de encobrir, durante a Segunda Guerra Mundial, um encontro entre um OVNI e um bombardeiro. Foi um segredo bem guardado porque Chruchil temeu o «pânico» geral. Churchil terá dito: «Este caso deve ser imediatamente classificado, uma vez que iria gerar uma onda de pânico na população em geral e destruir a crença na Igreja». O «incidente» bizarro deu-se ao largo da costa leste da Inglaterra, conta o «The Telegraph».
A lei da rolha foi decidida durante uma reunião secreta com o general norte-americano, Dwight Eisenhower, comandante das Forças Aliadas.
Milhares de páginas de arquivos sobre OVNIS foram lançadas online esta quinta-feira pelo Arquivo Nacional .
As acusações que envolvem Churchill foram feitas pelo neto de um histórico guarda-costas do ex-primeiro-ministro. O neto escreveu ao Ministério da Defesa, em 1999, depois do avô ter contado à família o segredo.
De acordo com a série de cartas, escritas pelo neto do guarda,um físico de Leicester, um avião de reconhecimento e a sua tripulação estavam a regressar de uma missão sobre a Europa ocupada quando um objecto voador não identificado de metal pairou sobere a aeronave.
Fonte do Ministério da Defesa disse que não havia provas para suportar as reivindicações, porque todos os arquivos sobre OVNIS antes de 1967 «foram destruídos ao fim de cinco anos».

Churchill censurou relatório sobre Ovnis para evitar pânico
LONDRES (AFP) - O primeiro-ministro britânico do período da Segunda Guerra, Winston Churchill, proibiu, por 50 anos, a divulgação de um suposto incidente com Ovni devido ao temor de que sua divulgação pudesse provocar pânico, segundo informações reveladas esta quinta-feira.
O neto de um oficial da Royal Air Force (Força Aérea britânica), que foi um dos guarda-costas pessoais de Churchill, escreveu ao ministro da Defesa brtiânico, em 1999, sobre o suposto incidente.
O relato dele e a alegada reação de Churchill foram revelados em documentos publicados esta quinta-feira pelos Arquivos Nacionais britânicos.
Segundo estes, o avô do homem escutou por acaso Churchill discutindo o suposto incidente com o general americano Dwight Eisenhower.
De acordo com relatórios atribuídos a Churchill, um avião de reconhecimento que voltava para a Grã-Bretanha de uma missão foi encoberto por um Ovni enquanto passava pela costa britânica.
A tripulação do avião contou ter fotografado o objeto, o qual, afirmam ter "pairado ruidosamente" perto da aeronave, antes de partir.
"O sr. Churchill fez uma declaração sobre a (possível) repercussão (do caso), (destacando que) 'este evento deve ser imediatamente censurado pois poderia criar pânico na população em geral e destruir a nossa crença na Igreja'", diz uma carta que descreveria o suposto incidente.
Previous file releases

The National Archives holds other UFO files that have already been released by the Ministry of Defence. You can download these in PDF format for a small fee. The files contain details of numerous UFO sightings.

Access existing UFO files





“What does all this stuff about flying saucers amount to? What can it mean? What is the truth?”

Sir Winston Churchill - July 1952 (Catalogue reference PREM 11/855)

Dr David Clarke’s recent book combines official government reports and eye-witness interviews to reveal the incredible inside story of more than a century of UFO sightings. Buy a copy of The UFO Files Read a free sample (PDF, 1.8Mb)

"O mundo precisa de novo contrato social", por Clarinha Glock, da IPS

Universidade Planetária do Futuro
Assessoria Especial de Comunicação
Divulga matéria da IPS


“O mundo precisa de novo contrato social”.


Por Clarinha Glock, da IPS

Barcelona, Espanha, 4/8/2010 – “Temos que começar a pensar em um novo contrato social em escala planetária, e também dentro de cada país”, afirmou em entrevista à IPS o ganhador do prêmio Nobel da Paz 1980, o argentino Adolfo Pérez Esquivel. Aos 78 anos, Esquivel se mantém muito ativo em defesa dos direitos humanos e da educação para a paz.

Atualmente, é um dos promotores da criação do Tribunal Penal Internacional para o Meio Ambiente, sob o princípio de que os desastres ecológicos são um crime contra a humanidade. Para isso é preciso modificar o Estatuto de Roma, que em 1998 deu vida ao Tribunal Penal Internacional, em vigor desde 2002.

Em uma de suas frequentes viagens a Barcelona, Esquivel conversou com a IPS sobre a situação da América Latina e os avanços para uma cultura de paz no mundo.

IPS: Desde o fim das ditaduras militares na América Latina, como a região evoluiu?

Adolfo Pé rez Esquivel: Depois das ditaduras impostas pela política dos Estados Unidos, houve fatos importantes que fazem com que a América Latina mude para democracias condicionadas ou restritas. É um processo rápido, vinculado à Guerra das Malvinas (1982, entre Argentina e Grã-Bretanha). Antes, o confronto era Leste-Oeste, entre Estados Unidos e a antiga União Soviética. Com a Guerra das Malvinas, o problema passa a ser Norte-Sul. Logo, Washington se dá conta de que é preciso promover democracias. Mas a política neoliberal, as privatizações, a apropriação dos recursos naturais e não naturais continua.

IPS: A América Latina continua sendo importante para Washington?

APE: Apesar de precisar se concentrar nas guerras do Afeganistão e Iraque, os Estados Unidos nunca deixaram de estar atentos à América Latina. Quando algum país se desvia dessa hegemonia, começa a ter conflitos, como os que ocorrem na Venezuela, Bolívia, Equado r ou Argentina. Quando o deposto presidente Manuel Zelaya, de Honduras, começou a ter outra visão da situação de seu país, sofreu um golpe de Estado legalizado pelo parlamento e pelo Poder Judicial. É uma experiência-piloto para aplicar em outros países, no Paraguai, por exemplo, que passa por algo semelhante.


IPS: Então, existe um reposicionamento dos Estados Unidos com a região?


APE: Estão criando uma “pinça” militar no continente, com o Plano Puebla-Panamá, para a América Central e o Caribe, o Plano Colômbia, com sete bases militares sob o pretexto de combater o narcotráfico e o terrorismo, a Tríplice Fronteira (Argentina, Brasil, Paraguai) e, nas Ilhas Malvinas, uma base militar com a Grã-Bretanha. Além disso, empresas multinacionais buscam na região os recursos que faltam nos países centrais. Apesar de tudo, surgem forças sociais, culturas e políticas fortes. O governo da Bolívia, por exemplo, está recu perando as empresas nacionais e os recursos naturais que estavam privatizados. São passos importantes, como converter-se em um Estado plurinacional, com reconhecimento dos povos indígenas, ou medidas para superar o analfabetismo e os problemas de saúde. Como ocorre na Venezuela.


IPS: Mas há críticas a esses governos. Qual é a sua percepção?


APE: Não existem democracias perfeitas. O que existe são democracias que podem ser perfeitas, podem melhorar. Por exemplo, a Venezuela é uma democracia diferente da, aparente, existente na Colômbia, onde existe repressão, controle de grupos paramilitares, intervenção das Forças Armadas, quatro milhões de refugiados internos e cinco milhões de exilados. Os colombianos votam, mas o que garante uma democracia não é o voto, é a participação do povo. Com todas as dificuldades e erros, países da América Latina deram passos qualitativos na construção de democracias participativas. São espaços a serem construídos.


IPS: Com o presidente Barack Obama as coisas mudaram?


APE: Não. Obama chegou ao governo, mas não ao poder. Ele se comprometeu a acabar com a guerra do Iraque e a intensificou, e também com a do Afeganistão. Não conta com condições de governabilidade como os presidentes da Bolívia, Venezuela e Equador. Seus governos estão unidos pelo Mercosul, Unasul ou Banco do Sul. É a única forma de enfrentar os grandes poderes internacionais.


IPS: Essa união pode impedir o golpe de Estado, que mencionou, no Paraguai?


APE: Claro. A presidente da Argentina, Cristina Fernández, fez algo interessante. No dia 25 de maio, festa da pátria e do bicentenário, recebeu Manuel Zelaya com honras de presidente em exercício. Isto incomoda os Estados Unidos, que perdem sua hegemonia. A América Latina tem de fortalecer sua unidade, porque possui grandes recursos naturais, e a próxima guerra será por água, recursos energéticos e alimentos. A única maneira de se fortalecer são as alianças econômicas, culturais e políticas.


IPS: O senhor citou forças sociais latino-americanas emergentes. Quais são?


APE: Uma é o movimento de mulheres. A mulher é protagonista em toda a região, dos povos indígenas às esferas científicas, tecnológicas e do pensamento. Outro movimento importante é o dos indígenas, que começaram a recuperar sua identidade, sua cultura, sua espiritualidade e a se organizar. E a terceira são os movimentos sociais, que estão gerando uma nova forma de fazer política e construindo uma democracia participativa. Isto leva a algo no qual venho insistindo: temos de começar a pensar em um novo contrato social em escala planetária, e também dentro de cada país. Quando a Real Academia Espanhola realizou um encontro da língua, nós fizemos um Congresso das Línguas, porque não somos um país monolinguista e temos de respeitar essa diversidade. Quando falo de um novo contrato social também me refiro a isto, porque a dominação não começa pelo campo econômico, mas pelo cultural.


IPS: Há avanços na campanha para criar o Tribunal Penal internacional para o Meio Ambiente?


APE: Entre as coisas que faço, presido a Academia das Ciências do Meio Ambiente de Veneza, integrada por 120 cientistas, onde trabalhamos os grandes problemas ambientais. Nos direitos humanos se vê os danos às pessoas, mas não aos povos. Em 1976, a Liga Internacional pelos Direitos e pela Liberdade dos Povos proclamou a Declaração Universal dos Direitos dos Povos. E creio que é preciso trabalhar no dano aos povos indígenas, a populações inteiras, pela contaminação da água e do meio ambiente. Em 2001, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) divulgou um informe dizendo que a cada dia morrem no mundo mais de 35 mil crianças vítimas da fome. Eu chamo isso de terrorismo econômico. Estamos propondo uma reforma do Estatuto de Roma. Ao mesmo tempo, é necessário lançar uma campanha internacional para que os povos pressionem. A pressão para que os governos façam mudanças deve partir da base. Envolverde/IPS.


FOTO
Crédito: Clarinha Glock/IPS
Legenda:
Adolfo Pérez Esquievel, prêmio Nobel da Paz 1980
.
...............................................................................

Unversidade Planetária do Futuro
Centro de Ciências Humanas e Sociais
Diretores:
Profa. Dra. Maria de Fátima Felix Rosar
Prof. Dr. Orlando Oscar Rosasr
Prof. Dra. Maria Inês Hamann Peixoto
.
Departamento de Comunicação Social,
Cultural e Científica
Diretoras:
Ana Felix Garjan, Maria de Fátima Felix Rosar,
                                                         Luciana Fortes Felix, Carla Elder

Grupos Artforum Brasil UNIFUTRO

Abertura do espaço da Universidade do Futuro. Brasil, 28/12/2009

Na política do mundo globalizado está dada a largada para uma nova cadeia de intenções, atitudes e hábitos, diante das questões graves apresentadas pelos diversos cientistas e governantes dos 192 países que estiveram no encontro da cúpula da COP15, em dezembro de 2009. A nova estratégia de superação da crise do planeta e do mundo está sendo chamada de Nova Revolução Verde, pois o mundo já consome mais do que a natureza produz. Caberá aos homens e mulheres dos países, culturas e etnias descobrirem novas formas e hábitos que contribuam com a sustentabilidade que se faz necessária e urgente. O ano de 2010 será o Ano Internacional da Biodiversidade, e será muito importante para fechar a Primeira Década do Século XXI. A partir da Segunda Década o mundo iniciará, de forma mais veloz, o seu encontro com o Ano de 2050, onde estarão as novas fórmulas científicas que poderão garantir o futuro da humanidade do Planeta Terra. Ele é um orbe que tem seus sistemas independentes dos sistemas do homem, mas o mundo precisa refletir sobre suas atitudes em relação à natureza, aos animais, às águas, aos sistemas vivos, e às grandes causas da nossa humanidade. Brasil, 28 de dezembro de 2009. Ana Felix Garjan - Idealizadora do projeto Universidade Planetária do Futuro e membro da comissão dos fundadores da sociedade cultural, sem fins lucrativos: Grupos ARTFORUM Brasil XXI, que organizou o Plano Nossa Década 2001 - 2010 e o Programa Universidade Aberta "Telhados do Mundo" .
Nossos sites principais: : http://www.artforumunifuturobrasil.org/ - http://www.cidadeartesdomundo.com.br/ - http://www.cidadeartesdomundo.com.br/MV.html Cultura Humanista-Planetária por um mundo melhor.

Primeiro Documento Oficial da Universidade Planetária do Futuro

Aos vinte e três dias do mês de março do ano de 2010 - o último da Primeira Década do Século XXI foi realizado um Fórum – Conferência dos fundadores, diretores e consultores dos Grupos Artforum Brasil XXI e da Universidade Planetária do Futuro, após reuniões, roteiros metodológicos e projetos especiais registraram a organização da estrutura da Universidade Planetária do Futuro, considerando a primeira reunião realizada em dezembro de 2009. Foram aprovados artigos do documento filosófico da UNIFUTURO, para fins de sua institucionalização, em nome da História, da Filosofia, da Ciência e da Cultura Humanista-Planetária. ***ARTIGOS APROVADOS ***Artigo I - Que a ética humana, as filosofias, ciências, culturas, literaturas, linguagens e as tecnologias de todas as áreas e setores do mundo se voltem para a construção de novos projetos que contribuam para a construção de um novo mundo justo, pacífico e humanizado, nas próximas décadas, séculos e milênios. *** Artigo II - Que possamos contribuir com a justiça e a paz mundial, a partir de efetivas mudanças e da transformação da sociedade mundial e seus sistemas. Que sejam vivos e reais os Direitos e Deveres da Humanidade para com a Pessoa Humana, a Natureza, os Animais e o Planeta. Desejamos que sejam concretas as atitudes humanas e a solidariedade em prol de um mundo mais humanizado. ** Artigo III - Que os direitos humanos sejam respeitados em todos os países e territórios do mundo político e social. Que as Filosofias, Ciências, Culturas e Artes sejam conexões de justiça para os povos e cidades abandonadas do mundo. Que haja Justiça e Paz para as mulheres e seus filhos mortos/desaparecidos no Brasil e em todos os países. ***Artigo IV - Que todas as ciências, tecnologias, artes, linguagens estéticas, literatura e atitudes humanas contribuam para as mudanças que se fazem necessárias e urgentes, para a transformação da sociedade mundial. ***** Artigo V - Que as pessoas, grupos, comunidades, associações, organizações e instituições e governos cumpram com seus deveres e com seu papel transformador, no âmbito da sociedade onde estão inseridas. Que todo saber e conhecimento contribuam para o novo tempo do mundo, nesse início da segunda década do século XXI. ** Conclusão em síntese: Somos todos sementes da arte da humanidade da Terra, através da cultura, das ciências humanas, das ciências sociais e das tecnologias humanizadas, neste ano de 2010, e em nosso país, o Brasil que registra seus 510 anos de história, educação, cultura e literatura. *Somos semeadores do futuro e passageiros do amanhã. Que haja transformação das sociedades, em prol da Justiça e Paz da humanidade.*** Brasil, 23 de março de 2010 - Século XXI-Terceiro Milênio. Assinam este documento os Fundadores, Diretores, Coordenadores e Consultores da Universidade Planetária do Futuro. Brasil, 23 de março de 2010 - Último ano da 1ª Década do Século XXI.

Homenagens da Universidade Planetária do Futuro, em 2010

Nosso Tributo à África - seu povo e cultura; às Américas; aos cinco continentes, aos mares, oceanos, terras, povos do mundo, à diversidade cultural de hoje e do futuro. Homenagem ao Brasil - Cinco séculos de história, cultura e instituições oficiais. Homenagem aos representantes das etnias que formaram o povo brasileiro, e ao seu futuro. Homenagem aos grandes nomes da História, da Educação, da Cultura e Ciências, e das áreas do conhecimento científico desenvolvidos ao longo dos três milênios, nos séculos e décadas do mundo. Homenagem aos que lutaram e lutam pela Justiça e Paz Mundial em prol de um Mundo Melhor. Homenagem e reconhecimento às pessoas, grupos e organizações que trabalham pela Educação e Cultura Humanista - Planetária, em prol da nossa humanidade, da natureza e do planeta. Brasil, janeiro de 2010. Conselho Universitário, Diretores, Coordenadores e Consultores da Universidade Planetária do Futuro.

Universidade Planetária: Filosofias, Culturas e Ciências 2011.

*UNIVERSIDADE PLANETÁRIA DO FUTURO - Aos 25 dias de setembro de 2011 foi celebrado e divulgada e estrutura administrativa da Universidade Planetária do Futuro, para que ela possa atingir seus objetivos e missões. A presidência será formada por membros do Conselho Diretor , Coordenadores e Colaboradores. *Estrutura da Universidade Planetária do Futuro - UNIFUTURO: *Centro de Ciências Sociais *Centro de Pesquisa e Ciências do Meio Ambiente. *Departamento de Arte Educação. *Departamento de Comunicação, Divulgação Científica e Cultural. *Departamento de Projetos Especiais. *A Representação e divulgação da Unifuturo será desenvolvida através de sites, blogs e páginas em redes sociais *** Brasil, 25 de setembro de 2011. Bem-Vindos! Welcome! Bienvenidos!

Somos passageiros do futuro e trabalhamos pelo Mundo Melhor.

O "Manifesto Verde pela Paz da Humanidade e do Planeta", dos Grupos ArtForum Brasil XXI foi escrito em 2001, como resultado de fóruns e diálogos dos Grupos Artforum Renasissance vie Universelle, Artforum Mundi Planet, com grupos universitários e organizações de cultura e meio ambiente. Os fóruns foram coordenados por Ana Felix Garjan, que elaborou o texto - mantra do Manifesto Verde Pela Paz da Humanidade e do Planeta, em 2001. O manifesto inspirou a "Carta Magna" da Universidade Planetária do Futuro - 2ª Década do século XXI. *****Manifesto Verde pela Paz da Humanidade e do Planeta: http://www.cidadeartesdomundo.com.br/MV.html

Grupos Artforum Brasil XXI

Grupos Artforum Brasil XXI
Logo UNIFUTURO-Brasil XXI

Arquivo do blog